Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,52
    -0,19 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.631,40
    -2,00 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    19.115,66
    +305,05 (+1,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    438,96
    +5,86 (+1,35%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.855,14
    -78,13 (-0,44%)
     
  • NIKKEI

    26.431,55
    -722,28 (-2,66%)
     
  • NASDAQ

    11.298,25
    -18,00 (-0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1741
    +0,0765 (+1,50%)
     

Rolls-Royce abandona projeto do avião supersônico com a Boom Aerospace

A Rolls-Royce anunciou que não vai mais produzir os motores supersônicos para o Overture, avião que está em desenvolvimento pela Boom Aerospace. Segundo a gigante britânica, esse tipo de propulsor deixou de ser uma prioridade para a empresa, que vai seguir com outros projetos, como o Ultrafan, maior motor do mundo, e o Pearl 10X.

Análises de especialistas sugerem que a Rolls-Royce não passou muito bem pelo período da pandemia da covid-19, o que certamente afetou suas finanças. Por isso, ela decidiu alocar seus recursos em projetos que podem render mais retorno em um futuro próximo.

A expectativa da Boom Aerospace era de começar os voos comerciais com o Overture em 2029. Há, inclusive, empresas aéreas nos Estados Unidos que já encomendaram as aeronaves, como a United Airlines e a American Airlines.

Com esse cancelamento por parte dos britânicos, a Boom vai precisar rever seu cronograma — que já era ousado. Para que o leitor do Canaltech entenda, um avião pode levar de 8 a 10 anos para ficar pronto, desde a prancheta até o primeiro voo comercial. No caso do Overture, a ideia era de realizar o primeiro voo experimental já em 2026.

E agora, como ficam as empresas?

Além da United e da American Airlines, a Japan Airlines e o Virgin Group também assinaram cartas de compra junto à Boom Aerospace. A fabricante, que ainda nem construiu a planta para produzir o Overture, que será em Greensboro, na Carolina do Norte, ainda não se manifestou sobre o tema Rolls-Royce.

Renderização mostra como ficará o Overture com a pintura da United (Imagem: Divugação/ Boom Aerospace)
Renderização mostra como ficará o Overture com a pintura da United (Imagem: Divugação/ Boom Aerospace)

É bom lembrar que a Boom não é a única empresa trabalhando em uma aeronave supersônica de passageiros. A Aerion também desenvolve seu modelo, o Aerion AS3, um jato supersônico que promete alcançar Mach 4+, ou seja, mais de quatro vezes a velocidade do som, algo na casa dos 6.200 km/h, e carregando cerca de 50 passageiros.

Com isso, seria possível viajar de Los Angeles a Tóquio em apenas três horas, ou de Paris a São Paulo em duas.

O Overture, avião supersônico

Se lançado, o Overture será tudo aquilo que o Concorde foi em termos de desempenho e autonomia. A promessa é de que ele faça voos entre Nova Iorque e Londres em apenas três horas e meia. Já a rota entre Los Angeles e Tóquio poderá ser realizada em apenas seis horas. Tudo a uma altura aproximada de 18 mil metros e a uma velocidade de 2.100 km/h.

A promessa da Boom é que, além de rápido e eficiente, o Overture seja um avião supersônico acessível, com voos que todos possam pagar, diferentemente do que acontecia com o Concorde.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: