Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    36.596,79
    -3.318,50 (-8,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Rodrigo Maia sobre Paulo Guedes: 'meu caráter é muito diferente do dele'

·2 min de leitura

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (sem partido-RJ) reagiu nesta terça-feira a uma declaração dada pelo o ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o deputado teria se beneficiado de recursos do orçamento secreto quando esteve à frente da Casa.

''Paulo Guedes precisa entender que o meu caráter é muito diferente do dele", afirmou o deputado. Mais cedo, o ministro havia dito que o orçamento secreto foi criado por Maia na época em que ele presidia a Câmara, e não pela atual gestão do deputado Artur Lira (PP-AL).

''Eu nunca usaria o orçamento para ameaçar os deputados como estão fazendo. E também não trabalharia um modelo que gerasse um orçamento paralelo e sem transparência'', declarou o deputado em sua conta no Twitter.

Durante um evento nesta terça-feira, Guedes declarou que as emendas de relator já existiam no mandato do então presidente da Câmara Rodrigo Maia. Na avaliação do palaciano, o repasse de verbas a parlamentares aliados não recebia tanta atenção como na atual gestão, presidia por Arthur Lira. Guedes sugeriu que isso acontece porque Maia é opositor ao governo Bolsonaro.

— Quando o presidente da Câmara era o Rodrigo Maia, houve o pedido dele de R$ 30 bilhões para o Domingos Neto (PSD-CE), que seria o relator (do orçamento) da época. Era o dobro de hoje, e não houve essa convulsão toda. Porque, possivelmente, naquela altura, o presidente da Câmara garantiu aqueles recursos para ficar independente do governo, fazer política mesmo sendo oposição ao governo. Ninguém reclamou — disse Guedes, em evento da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Segundo Maia, as emendas de relator começaram de fato apenas neste ano, quando já não era mais presidente:

''Paulo Guedes está desesperado. Sabe que está desmoralizado e fica criando narrativas falsas. As emendas de relator, RP9, foram criadas no final de 2019, mas em 2020 não foram regulamentadas. Isso começa a partir de 2021, quando o próprio Guedes faz acordos com parte da Câmara''.

O ex-presidente da Câmara ainda criticou a gestão do governo em relação ao orçamento secreto, instrumento usado por Bolsonaro para repassar sem transparência verbas aos parlamentares governistas.

''Eu nunca usaria o orçamento para ameaçar os deputados como estão fazendo. E também não trabalharia um modelo que gerasse um orçamento paralelo e sem transparência, '' disse Maia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos