Mercado fechado
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,30
    +2,67 (+3,19%)
     
  • OURO

    1.734,40
    +32,40 (+1,90%)
     
  • BTC-USD

    20.355,28
    +776,77 (+3,97%)
     
  • CMC Crypto 200

    460,91
    +15,47 (+3,47%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    7.086,46
    +177,70 (+2,57%)
     
  • HANG SENG

    17.079,51
    -143,32 (-0,83%)
     
  • NIKKEI

    26.992,21
    +776,42 (+2,96%)
     
  • NASDAQ

    11.644,50
    +358,75 (+3,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1720
    +0,0981 (+1,93%)
     

Rocket Lab testa propulsor de foguete que foi recuperado para reutilização

Na última semana, a Rocket Lab acionou pela primeira vez um motor Rutherford, integrante de um dos propulsores dos foguetes Electron. O procedimento fez parte de um teste conduzido alguns meses depois de a empresa recuperar o propulsor em questão e, além dos bons resultados, representa um passo importante para a Rocket Lab, que vem trabalhando para tornar os primeiros estágios do Electron reutilizáveis.

Segundo a empresa, o motor passou pelos mesmos testes rigorosos conduzidos com os demais motores da Rocket Lab, incluindo acionamentos de 200 segundos de duração. Os dados do teste mostraram que o motor funcionou de acordo com os mesmos padrões exigidos dos componentes novos.

Confira o acionamento do motor no vídeo abaixo:

Os foguetes Electron têm 18 m de altura e são projetados para levar pequenos satélites à órbita. Eles contam com nove motores Rutherford no primeiro estágio e apenas um no estágio superior. A empresa planejar tornar os primeiros estágios reutilizáveis, e quer capturá-los com helicópteros após os lançamentos.

A Rocket Lab testou este procedimento em maio. Naquele mês, o propulsor desceu pela atmosfera desacelerado por um paraquedas, e foi capturado por um helicóptero. Entretanto, ele acabou liberado para cair no oceano Pacífico, porque estava afetando as manobras da aeronave. A empresa o recuperou depois e, agora, colocou-o à prova com o teste.

Peter Beck, CEO e fundador da empresa, afirmou que a Rocket Lab sempre esteve na dianteira da inovação com o Electron. “Agora, estamos liderando novamente ao trazer a reusabilidade para pequenos veículos lançadores”, disse. “Se conseguirmos alcançar este alto nível de desempenho dos componentes do motor recuperados do oceano, estou otimista e incrivelmente animado sobre o que poderemos fazer quando trouxermos motores ‘secos’ com um helicóptero, na próxima vez”, finalizou.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: