Mercado abrirá em 7 h 13 min
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,29
    +0,12 (+0,33%)
     
  • OURO

    1.875,70
    +7,70 (+0,41%)
     
  • BTC-USD

    13.434,93
    -52,30 (-0,39%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,38
    +20,70 (+8,53%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.580,22
    -6,38 (-0,03%)
     
  • NIKKEI

    23.184,80
    -147,14 (-0,63%)
     
  • NASDAQ

    11.203,25
    -139,50 (-1,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7517
    +0,0061 (+0,09%)
     

Robôs vencem humanos em teste de previsão de colapso financeiro

Brian Swint
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Os robôs provavelmente têm uma vantagem sobre os seres humanos quando se trata de prever o próximo colapso econômico, de acordo com pesquisadores do Banco da Inglaterra.

“Wir Sind die Roboter: Can We Predict Financial Crises?” - uma referência à canção de 1978 dos pioneiros da música eletrônica alemã Kraftwerk - é o mais recente relatório no blog Bank Underground.

Modelos de aprendizado de máquinas que reuniram dados de 140 anos e 17 países conseguiram prever corretamente a crise de pequenos bancos em 1991 no Reino Unido e a crise financeira global de 2008-2009, segundo o relatório.

Os pesquisadores, liderados por Kristina Bluwstein, escreveram que são grandes os benefícios de ser capaz de ver um desastre e que os humanos não são muito bons nisso. Eles apontam que “mesmo pessoas tão inteligentes quanto Isaac Newton” perderam sua fortuna em tais eventos.

O custo médio de uma crise é de cerca de 75% do Produto Interno Bruto, de acordo com a pesquisa. Isso pode ser evitado se ações preventivas adequadas - ferramentas macroprudenciais, na linguagem do banco central - forem aplicadas com suficiente antecedência.

Os fatores mais importantes a prenunciar uma crise “são o crescimento do crédito e a inclinação da curva de juros”, embora sempre possam existir eventos inerentemente imprevisíveis, escreveram os autores. “Mas é crucial identificar um sistema financeiro como mais vulnerável” e, portanto, com maior probabilidade de amplificar um choque inesperado na direção de uma crise financeira completa.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.