Mercado fechado

Rivalidade no trabalho pode ser algo bom?

Foto: Getty

É inevitável nos compararmos a outras pessoas de vez em quando. Há quem diga que um pouco de competição saudável faz bem, principalmente no local de trabalho, onde ela pode ser motivadora e nos incentivar a dar o nosso melhor.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Não é raro que os empregadores usem sistemas de bonificação e metas para incentivar os funcionários a competir entre si, mas quando a competição fica muito acirrada, por exemplo quando membros da mesma equipe disputam uma promoção, essa situação pode causar estresse e afetar o desempenho no trabalho e a motivação. 

Qual é a diferença entre competição saudável e rivalidade? Será que a rivalidade realmente ajuda os funcionários?

Leia também

Não há como escapar da competição, seja no esporte, nos estudos ou no trabalho. Ela pode nos ajudar a melhorar o desempenho de várias maneiras. Em 2014, um estudo da Universidade de Nova York descobriu que a rivalidade tem um impacto efetivo tanto na motivação quanto no desempenho das tarefas. Os pesquisadores analisaram corredores de longa distância e descobriram que eles corriam mais rápido quando disputavam com um rival em comparação a quando corriam sozinhos.

Esse estudo da NYU também sugere que, ao contrário de outras formas de competição, a rivalidade ocorre entre pessoas que já se conhecem, levando em conta o histórico de interações. 

"O comportamento em situações de competição depende da relação e do histórico de interações com o adversário", explica o pesquisador Gavin J. Kilduff em um artigo publicado na revista Social Psychological and Personality Science.

"Portanto, talvez sejamos capazes de aumentar nossos níveis de motivação e desempenho criando rivalidades ou aproveitando as que já temos. Isso também nos faz pensar que outras pessoas do nosso convívio podem nos ver como rivais".

Não leve para o lado pessoal

Embora a competição possa ser amistosa e motivadora, podem surgir problemas quando as rivalidades se tornam pessoais, principalmente no local de trabalho. Nesse ambiente, muitos estão sob pressão e lidando com cargas de trabalho pesadas, por isso as pessoas ficam mais suscetíveis a tirar conclusões precipitadas ou a se irritar. Esse é o caso quando alguém acredita que outro funcionário não está jogando limpo, está sabotando o trabalho ou recebendo crédito por conquistas alheias. 

A rivalidade no trabalho muitas vezes é um resultado da escassez de recursos. Por exemplo, se apenas uma pessoa puder receber uma promoção ou um aumento, a competição pode se tornar negativa e alimentada pela raiva. 

Recentemente, o site de empregos Monster fez uma pesquisa sobre rivalidades no ambiente de trabalho, pedindo para os participantes compartilharem histórias de como é ter um concorrente nessa situação. Em muitos casos, a rivalidade se intensificou até se transformar em bullying. 

Karin Peeters, coach, psicoterapeuta e fundadora da Vitalis Coaching, diz que a rivalidade pode não ter um final feliz para os funcionários. 

"Acredito que podemos inspirar uns aos outros a melhorar e crescer para nos aperfeiçoar, sempre querendo que o outro tenha tanto sucesso e felicidade quanto nós mesmos", afirma. "Também acredito na ambição, no esforço para melhorar e causar impacto. No entanto, essa ambição não significa fazer outra pessoa sofrer para poder avançar. No meu ponto de vista, a ideia da rivalidade é crescer às custas de outra pessoa". 

"A rivalidade é competitiva, quando um ganha, o outro perde. É uma sensação de satisfação com a desgraça alheia", acrescenta Karin. "Não entendo como a valorização da vitória em detrimento de outro ser humano poderia contribuir para uma cultura de trabalho saudável".

"Basicamente, as empresas são formadas por pessoas trabalhando em equipe para alcançar um objetivo comum", acrescenta Karin. "Os verdadeiros líderes são aqueles que ajudam os outros a progredir. Para mim, a rivalidade está relacionada a ganhos individuais e pode até enriquecer o currículo, mas não leva em conta as relações pessoais e outros valores mais profundos", completa ela. 

A rivalidade pode causar estresse e sobrecarga, além de contribuir para sentimentos de paranoia, o que dificilmente pode ser considerado algo bom. Também pode ser uma distração e afetar o desempenho e a tomada de decisões, anulando qualquer efeito positivo da concorrência saudável. Em longo prazo, pode ser melhor não estabelecer relações de rivalidade no ambiente de trabalho e manter distância de pessoas que se coloquem como suas rivais.

Lydia Smith

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.