Mercado fechará em 3 h 44 min
  • BOVESPA

    103.539,56
    +2.764,99 (+2,74%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.473,11
    +465,95 (+0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,16
    -0,41 (-0,63%)
     
  • OURO

    1.768,00
    -16,30 (-0,91%)
     
  • BTC-USD

    56.907,36
    -1.558,95 (-2,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.452,79
    +13,91 (+0,97%)
     
  • S&P500

    4.546,46
    +33,42 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.409,85
    +387,81 (+1,14%)
     
  • FTSE

    7.123,93
    -44,75 (-0,62%)
     
  • HANG SENG

    23.788,93
    +130,01 (+0,55%)
     
  • NIKKEI

    27.753,37
    -182,25 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.970,00
    +100,25 (+0,63%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3885
    -0,0583 (-0,90%)
     

Rival da Tesla, Rivian vê ações subirem e empresa vale R$ 540 bi

·4 min de leitura
Rivian, empresa de carros elétricos, está no mercado faz quase uma década. E apesar de ter entregado apenas 156 veículos, a companhia é a nova ‘queridinha’ dos investidores. (REUTERS/Brendan McDermid)
  • Rivian abriu IPO nesta quarta-feira (10) e é a nova queridinha dos investidores

  • Empresa está valendo mais de R$ 540 bilhões na bolsa de valores dos EUA

  • Amazon é uma das maiores investidoras da companhia de carros elétricos

Rivian, empresa de carros elétricos, está no mercado faz quase uma década. E apesar de ter entregado apenas 156 veículos, a companhia é a nova ‘queridinha’ dos investidores. Apesar desse total minúsculo, os investidores decidiram na quarta-feira que Rivian estava na mesma liga que alguns dos nomes mais reconhecidos da indústria automobilística, como General Motors e Ford Motor, que produzem milhões de veículos por ano.

Leia também

As ações subiram 53% em sua estreia na Nasdaq na quarta-feira (10), dando à fabricante de veículos elétricos apoiada pela Amazon uma avaliação de mercado de mais de US$ 100 bilhões (R$ 540 bilhões) após a maior oferta pública inicial do mundo neste ano.

As ações da Rivian fecharam a US$ 100,73 (R$ 544), representando um salto de quase 30% em relação ao preço de oferta. Isso fez de Rivian a segunda montadora mais valiosa dos EUA, depois da Tesla, que vale US$ 1,06 trilhão (R$ 5,73 trilhões). Apesar de apenas ter começado a vender veículos e ter pouca receita para reportar, Rivian classificou-se à frente da General Motors com US$ 86,05 bilhões (R$ 460 bilhões), Ford Motor com US$ 77,37 bilhões (R$ 418 bilhões0 e Lucid com US$ 65,96 bilhões (R$ 365 bilhões).

As dificuldades da Tesla com a produção causaram uma hemorragia em seu caixa e uma queda em seu estoque. E, ao dar a Rivian uma avaliação tão alta no início, os investidores estão apostando em uma expansão muito mais suave para a empresa e seu presidente-executivo, R.J. Scaringe, que tem doutorado em engenharia mecânica pelo Massachusetts Institute of Technology.

COVID-19 atrasou lançamento da IPO da Rivian

Rivian também tem problemas para aumentar a produção em Illinois, já que as restrições da cadeia de suprimentos atingem as montadoras em todo o mundo. Em julho passado, o fabricante de EV disse que o COVID-19 e seu impacto sobre os fornecedores atrasaram o lançamento de veículos fora de Illinois.

Desde o ano passado, as empresas de EV emergiram como alguns dos investimentos mais quentes. Incluindo títulos como opções e unidades de ações restritas, a avaliação totalmente diluída de Rivian excedeu US$ 106 bilhões (R$ 573 bilhões) em seu preço de estreia.

O IPO permitiu que Rivian levantasse cerca de US$ 12 bilhões (R$ 64 bilhões) para financiar o crescimento, e esse número pode subir para US$ 13,7 bilhões (R$ 74 bilhões) se a distribuição total das ações for exercida. Isso a torna a maior IPO dos EUA desde que o Alibaba Group Holding abriu o capital em setembro de 2014.

Os maiores investidores institucionais de Wall Street, incluindo T. Rowe Price e BlackRock, estão apostando que Rivian será o próximo grande player em um setor dominado pela Tesla em meio à crescente pressão sobre as montadoras na China e na Europa para eliminar as emissões dos veículos.

Amazon é uma das investidoras da Rivian

A Amazon é a maior acionista de Rivian com uma participação de 20%. O contrato com a gigante do e-commerce pode fornecer um fluxo de receita estável. Mas do lado do consumidor, Rivian enfrenta a concorrência não apenas da Tesla, que está desenvolvendo um caminhão, mas também de montadoras que têm muita experiência com produção em massa. No ano que vem, a Ford deve começar a produzir uma versão elétrica de sua picape F-150, o veículo mais vendido nos Estados Unidos. G.M. espera-se que em breve comece a vender um GMC Hummer elétrico - tanto no caminhão quanto no S.U.V. versões - e está trabalhando em uma picape elétrica Chevrolet Silverado.

Os consumidores também podem questionar se Rivian fornecerá serviço para os veículos. A empresa não possui concessionárias e pretende vender veículos diretamente ao consumidor. A Tesla usa a mesma abordagem e muitos clientes reclamam de semanas de espera por peças e reparos. Para proprietários de Tesla em Michigan, por exemplo, os centros de serviço mais próximos estão em Chicago e Cleveland.

O IPO de Rivian teve como pano de fundo a Cúpula do Clima das Nações Unidas, onde montadoras, companhias aéreas e governos anunciaram uma série de promessas de reduzir as emissões de gases de efeito estufa do transporte global. Rivian tem investido pesadamente para aumentar a produção, dobrando para baixo em sua picape R1T totalmente elétrica de luxo lançada em setembro. Ele planeja seguir isso com um SUV e uma van de entrega, atingindo alguns dos segmentos mais quentes do mercado.

A empresa com sede em Irvine, Califórnia, planeja construir pelo menos um milhão de veículos por ano até o final da década, disse Scaringe. Tem uma fábrica em Illinois e anunciou planos para abrir uma segunda fábrica nos EUA e, eventualmente, estabelecer a produção na China e na Europa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos