Mercado abrirá em 8 h 46 min
  • BOVESPA

    122.515,74
    +714,95 (+0,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.869,48
    +1,16 (+0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,30
    +0,04 (+0,06%)
     
  • OURO

    1.814,20
    -8,00 (-0,44%)
     
  • BTC-USD

    38.704,22
    -1.077,37 (-2,71%)
     
  • CMC Crypto 200

    943,33
    -17,57 (-1,83%)
     
  • S&P500

    4.387,16
    -8,10 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    34.838,16
    -97,31 (-0,28%)
     
  • FTSE

    7.081,72
    +49,42 (+0,70%)
     
  • HANG SENG

    25.980,30
    -255,50 (-0,97%)
     
  • NIKKEI

    27.566,41
    -214,61 (-0,77%)
     
  • NASDAQ

    14.965,75
    +13,00 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1205
    -0,0236 (-0,38%)
     

Rivais? Apple torna-se a maior cliente de armazenamento em nuvem do Google

·2 minuto de leitura
Rivais? Apple torna-se a maior cliente de armazenamento em nuvem do Google
Rivais? Apple torna-se a maior cliente de armazenamento em nuvem do Google

Consumir determinado produto de uma empresa rival pode ser algo estranho, mas totalmente possível no mundo dos negócios. Prova disso é a Apple: considerada uma das principais concorrentes do Google, a companhia da maçã também tornou-se a principal cliente de armazenamento em nuvem da empresa de Sundar Pichai, à medida que sua demanda por guardar dados aumenta.

Em setembro do ano passado, a fabricante de iPhones aumentou a quantidade de armazenamento em nuvem nos servidores do Google em 470 petabytes, alcançando um valor total de oito exabytes. Para efeitos comparativos, um exabyte é mais do que o suficiente para armazenar uma chamada de vídeo com duração de mais de 237 mil anos — o que dá uma dimensão da imensidão de dados da big tech.

Já no mês passado, a Apple anunciou que pretende gastar cerca de US$ 300 milhões nos servidores em nuvem de sua rival neste ano. O valor significa um aumento considerável de 50% em relação ao ano passado e torna a empresa da maçã como a principal cliente do Google neste segmento.

Apesar de o valor parecer exorbitante à primeira vista, o investimento é encarado como um ótimo negócio para a Apple. Isso porque, segundo cálculos feitos em um dos sites do Google, armazenar 8 exabytes custaria algo em torno de US$ 218 milhões por mês (ou US$ 2,6 bilhões ao ano). Perto desse valor, os US$ 300 milhões anuais pagos para os serviços de armazenamento em nuvem do Google são uma verdadeira “pechincha”.

Logo do Google Cloud
Empresa tem uma de suas principais rivais como sua maior cliente em serviços de nuvem. Foto: Sundry Photography/Shutterstock

Leia mais:

Se contabilizado apenas o recorte de armazenamentos, a Apple ganha, com sobras, o posto de maior cliente dos serviços cloud do Google. A ByteDance, dona do TikTok, aparece na segunda posição (em torno de 470 petabytes), seguida por Spotify (460 petabytes), Twitter (315 petabytes) e Snapchat (275 petabytes).

Não se sabe ao certo o motivo de a gigante da maçã não investir em um data center próprio, dada sua alta demanda pelo serviço. É possível que “alugar” memória seja financeiramente mais vantajoso ou mesmo que isso não esteja no planejamento da gigante.

Vale lembrar ainda que a Apple também armazena informações nos servidores da Amazon. No entanto, todos os dados são criptografados pela própria companhia, para evitar que as empresas “parceiras” não tenham acesso às informações.

Fonte: GizChina

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos