Mercado abrirá em 5 h 43 min
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,41
    +1,01 (+0,90%)
     
  • OURO

    1.810,30
    -8,60 (-0,47%)
     
  • BTC-USD

    29.787,68
    -610,20 (-2,01%)
     
  • CMC Crypto 200

    668,86
    +426,18 (+175,62%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.519,16
    +0,81 (+0,01%)
     
  • HANG SENG

    20.577,24
    -25,28 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    26.911,20
    +251,45 (+0,94%)
     
  • NASDAQ

    12.500,75
    -59,50 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1983
    -0,0121 (-0,23%)
     

Risco de recessão cresce com aperto do Fed, dizem banqueiros

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Os chefes de alguns dos maiores bancos regionais dos EUA veem riscos crescentes de uma recessão provocada pelos aumentos das taxas de juros do Federal Reserve, embora esses aumentos devem elevar a receita de empréstimos.

Os formuladores de política monetária do Fed lutam para conter preços ao consumidor que subiram 8,5% em relação ao ano anterior em março, e o presidente da autoridade Jerome Powell disse que um aumento de meio ponto percentual na taxa de juros “estará na mesa” em maio.

Embora o aperto beneficie os bancos no curto prazo, aumentando os juros que cobram sobre empréstimos, os executivos dizem que existe o perigo de o banco central ser agressivo demais.

“Pode ser difícil aterrissar a economia”, disse o CEO do Fifth Third Bancorp, Greg Carmichael, em entrevista. “No final de 2023, podemos estar em um estado de recessão.”

Enquanto isso, os negócios de empréstimos estão mais fortes. O crescimento de empréstimos no primeiro trimestre foi de 1,4% em média em relação aos três meses anteriores entre um grupo de maiores bancos norte-americanos de capital aberto que divulgou resultados na quinta-feira, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Excluindo os saldos de empréstimos vinculados a um pograma de proteção de salários e uma carteira de crédito de veículos vendida pela empresa, os empréstimos médios do KeyCorp cresceram 15% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

Isso ajudou a neutralizar a fraqueza na área de banco de investimento do credor sediado em Cleveland, que o CEO Chris Gorman atribui à volatilidade do mercado.

“Se você fosse fazer uma oferta pública inicial, não entraria deliberadamente em um mercado instável”, disse Gorman em entrevista.

No curto prazo, o credor espera ver os empréstimos para o ano inteiro aumentarem em torno de 15%, e outros bancos estão igualmente otimistas.

Previsão de Empréstimo

O PNC Financial Services Group espera um crescimento médio de empréstimos de 10% para o ano inteiro, disse o diretor financeiro Robert Reilly a analistas e investidores.

Mesmo com perspectivas de empréstimos tão otimistas, os executivos estão cientes que o quadro econômico pode piorar.

“Embora acreditemos que a economia esteja em bases sólidas no curto prazo”, disse o CEO da Truist, Bill Rogers Jr., em teleconferência com analistas, “os ventos contrários da incerteza geopolítica, juntamente com o ambiente inflacionário e a previsão agressiva para o aperto da política monetária, criam uma ampla gama de perspectivas econômicas à medida que avançamos neste ano e no próximo”.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos