Mercado fechará em 2 h 24 min
  • BOVESPA

    100.768,14
    +2.095,88 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.223,79
    +482,29 (+1,01%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,99
    +2,37 (+2,20%)
     
  • OURO

    1.825,30
    -5,00 (-0,27%)
     
  • BTC-USD

    20.743,87
    -469,19 (-2,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    451,91
    -9,89 (-2,14%)
     
  • S&P500

    3.904,82
    -6,92 (-0,18%)
     
  • DOW JONES

    31.470,67
    -30,01 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.073,50
    -67,00 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5216
    -0,0308 (-0,55%)
     

Risco de calote corporativo sobe nos EUA com dívida mais cara

(Bloomberg) -- O prêmio de risco sobre títulos corporativos americanos de grau especulativo superou 5 pontos percentuais pela primeira vez desde 2020, um sinal de maior risco de calote.

O rendimento extra que os investidores exigem para manter a dívida dessas empresas em vez de títulos do Tesouro americano aumentou 0,31 ponto percentual na quinta-feira, para 5,08 pontos percentuais, de acordo com o índice Bloomberg US Corporate High Yield.

Nas últimas duas semanas, o spread já subiu 1 ponto percentual, à medida que os esforços do Federal Reserve para domar a inflação alimentam preocupações de que o banco central americano levará a economia a uma recessão.

Prêmios mais altos tornam mais caro levantar recursos para os emissores que mais precisam de financiamento - especialmente aqueles com classificações de crédito ruins devido a fluxos de caixa fracos ou altas cargas de dívida em relação à receita.

Em uma venda de títulos recente da revendedora de carros usados Carvana, por exemplo, a empresa inicialmente teve dificuldades de atrair investidores e acabou pagando um rendimento alto de 10,25%. A farmacêutica Mallinckrodt também teve dificuldade de encontrar compradores para o financiamento de sua saída da falência no início deste ano.

Durante a maior parte da pandemia, as empresas de grau especulativo em todo o mundo pagaram pouco mais para colocar títulos do que algumas das maiores corporações – uma média de apenas 2,4 pontos percentuais a mais em 2021, um ano que teve algumas das condições de crédito mais fáceis de todos os tempos, segundo dados compilados pela Bloomberg.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos