Mercado fechará em 5 h 41 min
  • BOVESPA

    119.649,22
    -412,77 (-0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.745,15
    -122,47 (-0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,09
    -0,26 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.786,70
    -6,40 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    54.612,67
    -838,95 (-1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.276,13
    +33,07 (+2,66%)
     
  • S&P500

    4.164,41
    -9,01 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    33.999,84
    -137,47 (-0,40%)
     
  • FTSE

    6.907,50
    +12,21 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.887,75
    -31,50 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5973
    -0,1047 (-1,56%)
     

Rio regulamenta auxílio emergencial estadual

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O governo fluminense publicou hoje (26), em Diário Oficial, o decreto que regulamenta o auxílio emergencial estadual, que terá valor entre R$ 200 e R$ 300, para minimizar os efeitos econômico-sociais da pandemia de covid-19. O valor será pago, pelo menos, até 31 de dezembro deste ano mas pode se estender por mais tempo caso os efeitos da pandemia ainda sejam sentidos.

O auxílio terá valor mínimo de R$ 200, com acréscimo de R$ 50 por filho menor de idade até o limite de dois filhos, podendo, por isso, chegar a R$ 300.

Poderão requerer o benefício chefes de família que tenham renda familiar mensal de R$ 178 ou menos por pessoa inscritos no Cadastro Único de Programas Sociais e trabalhadores que tenham perdido emprego a partir de 13 de março de 2020, desde que tivessem salário inferior a R$ 1.501 e ainda estejam sem fonte de renda.

Pessoas que já estejam recebendo Bolsa Família, o auxílio emergencial federal ou transferência de renda municipal não poderão receber o auxílio estadual. Apenas moradores do Rio de Janeiro são elegíveis. Veja todas as informações no Decreto.