Mercado abrirá em 3 h 49 min

Rio Grande do Sul deve superar Paraná na produção de trigo em 2019

Por Roberto Samora
.

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) - O Rio Grande do Sul deverá superar o Paraná em 2019 como o maior produtor de trigo do Brasil, com safra estimada em 2,2 milhões de toneladas, cerca de 100 mil toneladas acima da colheita paranaense, de acordo com informações de órgãos oficiais de cada Estado divulgadas nesta quinta-feira.

Os dois Estados devem colher juntos cerca de 85% da safra do Brasil, um dos maiores importadores globais do cereal, que deve adquirir 7 milhões de toneladas neste ano para atender a um consumo de 12 milhões de toneladas, segundo dados do Ministério da Agricultura.

O Departamento de Economia Rural (Deral), do governo do Paraná, estimou nesta quinta-feira que 98% da área com trigo já foi colhida, enquanto a Emater gaúcha apontou que as colheitadeiras passaram por 91% das lavouras do Estado.

O Paraná plantou pouco mais de 1 milhão de hectares de trigo neste ano, de acordo com dados do Deral, enquanto o Rio Grande do Sul semeou 757,3 mil hectares, segundo a Emater.

Com uma área menor que a do Paraná, que sofreu adversidades climáticas ao longo do ciclo, os gaúchos deverão colher uma de suas cinco maiores safras da história, disse a Emater, à medida que apostam no melhoramento genético de cultivares, adaptadas às diferentes regiões do Estado, o que ajuda na conquista de maiores produtividades.

"O que leva a essa produção final... o agricultor do Rio Grande do Sul já introduz a cultura com bom índice tecnológico, já é profissionalizado, tem a cultura do trigo dentro de sua atividade, ele faz todos os anos o plantio dentro da rotação das cultura", destacou o gerente técnico da Emater, Rogério Mazzardo, ressaltando, além das técnicas agronômicas, investimentos em adubação e defensivos.

A produtividade média do Rio Grande do Sul está estimada em quase 3 mil quilos por hectare, enquanto a do Paraná caiu para 2,2 mil quilos, ante 2,6 mil na temporada passada.

O trigo do Paraná, tradicionalmente o maior produtor do cereal no Brasil, sofreu perdas principalmente por geadas, além da seca, deixando o Estado longe de seu potencial, de 3,3 milhões de toneladas.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em seu relatório divulgado na semana passada, ainda apontava o Paraná como o primeiro do ranking nacional na safra atual, com produção de 2,25 milhões de toneladas, ante 2,2 milhões do Rio Grande do Sul.


SOJA E MILHO

No mesmo relatório, o Deral manteve praticamente estável a safra de soja do Paraná, estimada em 19,8 milhões de toneladas, mesma projeção de outubro. O plantio de soja no Estado, um dos maiores produtores da oleaginosa, avançou para 96% da área.

A produção de milho da primeira safra no Estado, um dos maiores produtores de grãos do Brasil, foi projetada em 3,1 milhões de toneladas, também estável na comparação com a previsão do mês anterior, com o Estado já tendo finalizado os cultivos.


(Por Roberto Samora)