Mercado fechado

Rio de Janeiro pode receber mais de R$ 1,5 bilhão para criar novas moradias

Rio de Janeiro pode receber mais de R$ 1,5 bilhão para construir novas moradias. Foto: Getty Images.
Rio de Janeiro pode receber mais de R$ 1,5 bilhão para construir novas moradias. Foto: Getty Images.
  • Comunidades do Rio de Janeiro podem receber mais de R$ 1,5 bilhão de investimentos em infraestrutura;

  • Dinheiro será direcionado para o Programa de Urbanização de Assentamentos Populares (Proap 4);

  • Projeto provém da parceria entre Secretaria Municipal de Habitação (SMH) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Comunidades do Rio de Janeiro estão próximas de receber US$ 300 milhões, pouco mais de R$ 1,5 bilhão na cotação atual, de investimentos em infraestrutura. O dinheiro será destinado para o Programa de Urbanização de Assentamentos Populares (Proap 4), que provém da parceria entre a Secretaria Municipal de Habitação (SMH) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Leia também:

“Teremos, assim, um índice das comunidades para nortear as intervenções. Estamos na etapa de execução do termo de cooperação técnica com a construção de uma carta consulta. Já a fase de discussão será até agosto ou setembro e, possivelmente, até o fim deste ano seja assinada a carta de intenções”, afirma Gustavo Freue, secretário municipal de Habitação da cidade do Rio de Janeiro.

O montante será somado aos R$ 500 milhões do Morar Carioca, um programa de gentrificação, habitação, sustentabilidade e urbanismo da região em parceria com o Ministério das Cidades.

O projeto foi relançado em março depois de cinco anos sem investimentos. Dessa quantia, R$ 450 milhões serão destinados às obras de urbanização integrada, enquanto os R$ 50 milhões restantes serão usados para a regularização fundiária de áreas irregulares.

Entre as comunidades contempladas estão a Chapéu Mangueira e a Babilônia, no Leme, na Zona Sul. Já na Zona Norte, no Estácio, a São Carlos e a Azevedo Lima serão contempladas.

Também estão inclusas a Parque Alegria, no Caju, e a Vila Esperança, em Acari, além de Tijuquinha, no Itanhanguá, na Zona Oeste.

*Com informações do jornal O Dia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos