Mercado fechado

Rio começa a vacinação contra a gripe para grupos prioritários; veja calendário do estado e da capital

Extra
·3 minuto de leitura

A partir desta segunda-feira, dia 19, os grupos prioritários começam a ser vacinados contra a gripe no Rio de Janeiro, simultaneamente com a campanha de imunização contra a Covid-19. Dando continuidade à primeira das três fases do planejamento, além dos profissionais de saúde serão atendidas nos postos de saúde crianças maiores de 6 meses e menores de 6 anos, gestantes, puérperas e povos indígenas.

Para o público que foi vacinado ou que vá se vacinar contra a Covid-19, é preciso esperar um intervalo mínimo de 14 dias entre as doses.

Os moradores do município do Rio vão seguir um calendário próprio da capital, que apresenta algumas diferenças, como atendimento aos idosos dividido por faixa etária, a partir de 11 de maio, a começar por pessoas com 90 anos ou mais. A partir desta segunda, o cronograma terá nove etapas.

Também sofre alteração a imunização contra influenza para crianças, que tem início a partir do dia 26 de abril. Já a vacinação para profissionais das forças de segurança e salvamento e das forças armadas é adiantada na cidade, também para a próxima semana.

Primeira fase, a partir de 19 de abril:

- Crianças maiores de 6 meses e menores de 6 anos (até 5 anos, 11 meses e 29 dias)

- Gestantes

- Puérperas (mulher que deu à luz recentemente)

- Povos Indígenas

- Profissionais de Saúde

Segunda fase, de 11 de maio a 8 de junho:

- Idosos com 60 anos ou mais

- Professores

Terceira fase, de 9 de junho a 9 de julho:

- Pessoas com comorbidades

- Pessoas com deficiência

- Caminhoneiros

- Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário

- Passageiros urbanos e de longo curso

- Trabalhadores portuários

- Profissionais das forças de segurança e salvamento

- Forças armadas

- Funcionários do sistema de privação de liberdade

- População privada de liberdade

- Adolescentes e jovens em medidas socioeducativas

Primeira etapa, de 19 de abril 4 a 26 de abril:

- Trabalhadores de saúde da rede privada

- Gestantes

- Puérperas (mulher que deu à luz recentemente)

Segunda etapa, de 26 de abril a 3 de maio:

- Crianças de 6 meses a menores de 2 anos

- Profissionais das forças de segurança e salvamento

- Forças Armadas

Terceira etapa, de 3 de maio a 10 de maio:

- Crianças maiores de 2 anos a 5 anos

Quarta etapa, de 11 de maio a 17 de maio:

- Idosos com 90 anos ou mais

Quinta etapa, de 17 de maio a 24 de maio:

- Idosos com 80 anos ou mais

Sexta etapa, de 24 de maio a 31 de maio:

- Idosos com 70 anos ou mais

Sétima etapa, de 31 de maio a 7 de junho:

- Idosos com 65 anos ou mais

Oitava etapa, de 7 de junho a 14 de junho:

- Idosos com 60 anos ou mais

Nona etapa, 14 de junho a 9 de julho:

- Demais grupos (outros trabalhadores de saúde não contemplados anteriormente, comorbidades, profissionais da educação, caminhoneiros, transporte coletivo e de longo percurso, portuários, pessoas com deficiência permanente, população privada de liberdade, adolescentes sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional)

É preciso aguardar ao menos 14 dias para tomar o outro imunizante, independentemente se a primeira vacina tomada for contra o Covid-19 ou contra a gripe. No caso da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, é recomendado que, uma vez tomada a primeira dose, deve-se aguardar até a imunização total, ou seja, 14 dias após a segunda dose, para tomar a vacina contra a gripe, ou tomar exatamente no 14º dia após a primeira dose. Já no caso da vacina de Oxford/AstraZeneca, produzida pela Fiocruz, a imunização contra a gripe já pode ser feita 14 dias após a primeira dose, dado que há um período de três meses entre as doses do imunizante.