Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.093,88 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,94 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,26 (+0,36%)
     
  • OURO

    1.802,10
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    33.847,24
    +1.432,17 (+4,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,20 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    +162,75 (+1,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1216
    +0,0014 (+0,02%)
     

Rio apresenta aumento de 40% na média móvel de óbitos por Covid-19

·3 minuto de leitura

RIO — Pelo segundo dia seguido, o estado do Rio apresenta um crescimento da média móvel de mortes, que neste domingo chegou a 209 óbitos por Covid-19 diários. Dados da secretaria estadual de Saúde mostram que o Rio registrou 71 novas mortes por Covid-19 e quase 600 casos da doença. Desde o início da pandemia foram 52.998 vítimas do coronavírus e ao menos 906 mil pessoas infectadas

A média móvel passa a ser de 3.039 casos e 209 mortes por dia. Em relação a duas semanas atrás, houve um aumento de 40% no número de óbitos, o que indica uma tendência de aumento na intensidade do contágio, pelo 2 º dia seguido. Foram 51 dias seguidos de alternância entre estabilidade ou queda do indicador até este sábado, quando voltou a apresentar crescimento, com aumento de de 34%.

A média móvel de 7 dias faz uma média entre o número de mortes do dia e dos seis anteriores. Ela é comparada com média de duas semanas atrás para indicar se há tendência de alta, estabilidade ou queda. O cálculo é um recurso estatístico para conseguir enxergar a tendência dos dados abafando o "ruído" causado pelos fins de semana, quando a notificação de mortes se reduz por escassez de funcionários em plantão.

Como na última semana houve o feriado de Corpus Christi é possível que o aumento do indicador nos últimos dois dias seja fruto do represamento de dados durante o feriado. No início da última semana, a cidade do Rio chegou a ficar dois dias sem novos óbitos divulgados. Na ocasião a prefeitura afirmou que os dados seriam inseridos durante a semana. Procuradas para comentar sobre o aumento deste domingo, as secretarias de Saúde do governo do estado e da capital não responderam o contato até a última atualização desta reportagem.

A análise dos dados foi feita a partir do levantamento do consórcio de veículos de imprensa formado por O GLOBO, Extra, G1, Folha de S.Paulo, UOL e O Estado de S. Paulo, que reúne informações das secretarias estaduais de Saúde.

Em agenda neste domingo, o prefeito Eduardo Paes se mostrou otimista com uma possível antecipação do calendário de vacinação contra a Covid-19 na cidade do Rio. O prefeito afirmou que caso o ritmo de vacinação se mantenha como o atual pode ser possível antecipar as datas em até um mês, o que permitiria toda a população carioca acima de 18 anos ser vacinada até meados de setembro.

— Do jeito que está indo, se continuar esse fluxo, estamos muito otimistas com a possibilidade até de acelerar. Quem sabe não conseguimos ganhar até um mês. Ainda é uma especulação. Avançamos quase uma década em duas semanas. Se continuar nesse ritmo as noticias podem ser boas. É um achismo meu, nada ainda oficial — afirmou.

O primeiro calendário divulgado pela prefeitura em maio que contempla todos os adultos prevê que o último grupo a ser vacinado seria o de jovens com 18 anos entre os dias 21 e 23 de outubro. Entretanto, nas últimas duas semanas a prefeitura conseguiu antecipar o calendário para imunizar todas as pessoas acima de 50 anos até o dia 19 de junho — enquanto a previsão original era apenas concluir essa faixa etária no início de julho.

Essa antecipação depende principalmente da chegada de novas doses de vacinas contra a Covid-19. A cidade do Rio possui uma capacidade de aplicar cerca de 73 mil doses diárias, mas hoje aplica cerca da metade.

Paralelamente ao calendário municipal do Rio, o governo do estado vacina pessoas com síndrome de Down, autismo, paralisia cerebral, nanismo e mielomeningocele (espinha bífida) com 18 anos ou mais, que residam na capital. A imunização é realizada no estacionamento do Estádio Célio de Barros, de segunda a sexta, das 9h às 16h, e requer o agendamento prévio, que pode ser feito no portal do governo do Estado.

Dia 19 de junho, sábado: Mulheres (turno da manhã) e homens (turno da tarde) de 50 anos ou mais

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos