Mercado fechado

Ridley Scott fala sobre Alien e revela o que será respondido no próximo filme

Laísa Trojaike

Os leitores do Los Angeles Times escolheram a franquia Alien para ser discutida na quarta edição da série Ultimate Summer Movie Showdown e o jornal promoveu uma entrevista do diretor Ridley Scott com o crítico Justin Chang. Na oportunidade, Scott falou sobre o período de pandemia no contexto da indústria cinematográfica e conversou sobre a produção de Alien, além de comentar sobre seus planos para a franquia.

Scott comentou que o isolamento está sendo uma excelente oportunidade para concluir os roteiros que ainda não estavam finalizados. Além disso, ele falou sobre como esse momento de pandemia está afetando o setor cinematográfico, mas explicou que sua visão não é pessimista. “Há algo, em parte, do trabalho que fazemos, acho... porque fazer um filme e filmar é um processo totalmente ilógico, você está reunindo um monte de gente para um projeto que é o roteiro”, explicou. “Vocês todos se encontram pela manhã, frequentemente pela primeira vez e de alguma forma você junta isso tudo. Então, se você não é otimista, você não deveria estar na indústria cinematográfica. Então, eu acho que sou otimista. Vamos encontrar uma maneira. Isto também passará.”

Sigourney Weaver e Riddley Scott no set de Alien, o Oitavo Passageiro (Imagem: 20th Century Fox)

Ridley Scott estreou em 1977 como diretor de longas-metragens com o filme Os Duelistas. Dois anos depois, estreou Alien, o Oitavo Passageiro, um dos filmes mais icônicos da ficção científica e da história, mas Scott não foi a primeira escolha dos produtores, que não imaginavam que ele faria de Alien uma obra realmente de sucesso. Além disso, o roteiro do filme previa um protagonista masculino. O diretor comentou que a ideia de mudar o gênero do protagonista veio do então presidente da 20th Century Fox, Alan Ladd Jr.

Eu acho que a ideia realmente veio do Alan Ladd Jr. Acho que foi Alan Ladd que disse “Por que Ripley não pode ser uma mulher?” E houve uma longa pausa, porque até aquele momento eu nunca tinha pensado nisso. Eu pensei, por que não? É uma nova direção, as maneiras que eu pensei sobre isso. E lá fomos nós.

Decidido que Ripley seria uma mulher, o próximo passo era escolher quem faria o papel. Scott então explicou que foi através de comentários que ele encontrou Sigourney Weaver: “Alguém foi informado que Siourney estava em um off-Broadway fazendo alguma coisa, que eu deveria conhecer,” relembrou o cineasta. “E eu fui. E lá estava, ela era perfeita. Em termos de escala, tamanho, inteligência, sua atuação é simplesmente fantástica. E, então, foi feito para ela, realmente.”

Ridley Scott no set de Alien: Covenant (Imagem: 20th Century Fox)

Scott deu início à franquia Alien, mas só retornou a ela anos depois, em Prometheus (2012) e Alien: Covenant (2017). Além disso, havia sido anunciada outra prequela de Alien, mas pouco se sabe sobre o assunto e não há informações sobre uma possível data de estreia. Na entrevista, Scott falou que ainda há mais a ser explorado no universo Alien.

Ainda acho que há muita quilometragem em Alien, mas penso que agora você terá que voltar a evoluir. O que eu sempre pensei quando estava fazendo isso, o primeiro, era por que uma criatura como essa seria feita e por que estava viajando no que eu sempre pensei que era uma espécie de arte de guerra, que estava carregando uma carga desses ovos. Qual era o objetivo do veículo e qual era o objetivo dos ovos? Essa é a coisa a ser questionada — quem, por que e para que finalidade é a próxima idéia, eu acho.

Ridley Scott dirigiu os dois primeiros episódios da série original HBO Max Raised by Wolves, que está em fase de pós-produção e chegará ao site de streaming em algum momento de 2020. No cinema, ele está no meio da produção de The Last Duel (ainda sem título em português), que teve as filmagens interrompidas por causa da pandemia de COVID-19. The Last Duel tem um roteiro escrito por Ben Affleck e Matt Damon, que também estrelam o filme ao lado de Jodie Comer e Adam Driver.


Fonte: Canaltech