Mercado fechará em 4 h 24 min
  • BOVESPA

    108.825,72
    -1.960,71 (-1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.740,53
    -557,67 (-1,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,22
    -1,20 (-1,44%)
     
  • OURO

    1.781,70
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    63.381,27
    -3.078,40 (-4,63%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.502,94
    -31,71 (-2,07%)
     
  • S&P500

    4.537,22
    +1,03 (+0,02%)
     
  • DOW JONES

    35.523,96
    -85,38 (-0,24%)
     
  • FTSE

    7.201,93
    -21,17 (-0,29%)
     
  • HANG SENG

    26.017,53
    -118,49 (-0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.708,58
    -546,97 (-1,87%)
     
  • NASDAQ

    15.418,75
    +41,25 (+0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5536
    +0,0340 (+0,52%)
     

Review OnePlus Buds Z | Um fone para os fãs da marca

·9 minuto de leitura

Quando o assunto é fone de ouvido Bluetooth, certamente a OnePlus não é uma referência. A fabricante chinesa é relativamente nova no segmento e conta com dois produtos em seu portfólio, sendo um deles o OnePlus Buds Z. O fone TWS (True Wireless Stereo) da chinesa aposta em visual semelhante aos AirPods, bateria de até 20 horas e um preço bem competitivo.

Tive a oportunidade de testar o OnePlus Buds Z por alguns dias e, após muitos treinos e podcasts, compartilho todas as minhas impressões sobre ele. Sera que vale a pena apostar numa marca nova no segmento? Continue a leitura para conferir!

Prós

  • Visual inspirado no Airpods;

  • Graves potentes;

  • Bateria cumpre o prometido;

  • Microfone agradável.

Contras

  • Falta de médios e agudos;

  • Falta de recursos em smartphones não-OnePlus.

Confira o preço atual do OnePlus Buds Z

Construção e design

A Apple criou um design realmente marcante com o lançamento dos AirPods, e dezenas de concorrentes se inspiraram nos fones de ouvido da Maçã na confecção de seus produtos. A OnePlus não foi uma exceção, e o resultado foi um Buds Z com cara de AirPods Pro, principalmente por suas hastes para o microfone e seu formato intra-auricular.

O modelo que testamos veio na cor branca, mas o Buds Z também pode ser encontrado no site oficial da OnePlus numa edição especial do designer Steven Harrington — se você comprá-lo em varejistas, provavelmente será a versão branca, mesmo. Independentemente da opção, temos uma aparência bonita, mas bem básica.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Se o visual do Buds Z me remeteu aos fones da Apple, sua construção de plástico logo me fez esquecer as semelhanças. Pelo menos, suas 4,35 gramas tornaram a utilização muito confortável durante todo o período de testes — inclusive, não ameaçando cair dos meus ouvidos nenhuma vez.

Apesar de ser bem básico, o OnePlus Buds Z conta com certificação IP55, garantindo uma proteção extra contra poeira e “jatos d’água”. Ou seja, basicamente você deve conseguir passar por uma chuva de leve sem nenhum problema — e para os esportistas, ele suporta suor numa boa.

O OnePlus Buds Z não vem sozinho na caixa; há um estojo de carregamento em formato de pílula bem compacto que o acompanha. O acessório é bem leve e não incomoda muito no bolso, o que é ótimo para transportá-lo sem problemas. Além disso, a case conta com uma entrada USB-C na parte de trás para conectar o cabo de mesma saída incluso na embalagem.

O OnePlus Buds Z não tem um design muito original, sendo inspirado principalmente nos AirPods da Apple. Ainda assim, a aparência é muito bonita, apesar de simples, e traz resistência contra respingos d'água e poeira.

Conectividade

O OnePlus Buds Z se conecta tanto a smartphones Android quanto a iPhones por meio do Bluetooth 5.0. A empresa promete um alcance de transmissão sem fio de até 10 metros, a média da maioria dos fones de ouvido da mesma faixa de preço. Durante os testes, não tive nenhum problema grave de conexão, embora tenha notado que os fones paravam de tocar músicas em ocasiões aleatórias.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

O primeiro pareamento com os fones de ouvido Bluetooth também foi muito rápido, bastando pressionar o botão traseiro da case para entrar no modo de pareamento — já nas próximas vezes, só é preciso tirar os earbuds do estojo para conectá-los automaticamente.

Cada earbud tem uma área sensível ao toque que desempenha uma função específica ao dar um duplo toque, como pular, retroceder, reproduzir ou pausar uma faixa, além de acionar o assistente de voz. No entanto, o que a OnePlus não te conta é que só se pode customizar a ação se você tiver algum smartphone da marca a partir do OnePlus 6.

Ou seja, se o seu celular for um iPhone ou um Android de outra marca, o botão só permite pular avançar uma música. Conforme apontou o analista Pedro Cipoli, você até consegue alterar a função do botão de modo não oficial, graças ao aplicativo HeyMelody. Ele permite conectar um fone tanto da OnePlus quanto da Vivo ou da Oppo para acessar seus recursos extras.

(Captura de tela: Diego Sousa/Canaltech)
(Captura de tela: Diego Sousa/Canaltech)

Eu tentei usar esse aplicativo em um iPhone 12, mas ele simplesmente não conseguiu encontrar os fones, mesmo já estando conectados ao meu celular. Após algumas pesquisas, descobri que outros consumidores donos de iPhones relataram o mesmo problema.

Isso é um ponto negativo e tanto, principalmente se considerarmos a sua faixa de preço intermediária. Muitos modelos equivalentes já trazem um aplicativo ou disponibilizam uma série de comandos para cada função por padrão, como um toque único para pausar, duplo toque para avançar ou toque triplo para chamar a assistente.

Embora o Buds Z não seja tão inteligente quanto eu gostaria — somente se você tiver um smartphone da OnePlus —, há um recurso muito interessante que identifica a pressão das borrachinhas nos ouvidos e pausa o que você estiver ouvindo assim que os fones deixam se “sentir” essa pressão. A empresa não destaca essa funcionalidade na página oficial do produto, mas gostei muito dela principalmente por ser algo que geralmente vemos em produtos mais caros.

Experiência sonora e microfone

Com relação ao som, o OnePlus Buds Z tem um desempenho misto, que pode agradar dependendo da sua preferência. O perfil dos fones é mais voltado para as frequências mais baixas, portanto temos baixos, bumbos e sintetizadores bem presentes.

Músicas como “bad guy”, da cantora Billie Eilish, e “About You”, do produtor eletrônico xxyyxx, soam vibrantes e com batidas bem destacadas, algo que me agradou bastante. No geral, músicas eletrônicas, pop e suas variações são bem agradáveis por aqui.

Entretanto, esse foco excessivo nos graves acaba ofuscando os médios e agudos — e é nesse ponte onde ele mais peca. Em “I Follow Rivers”, da Lykke Li, por exemplo, só se ouve o bumbo da bateria, enquanto a guitarra, a caixa, o prato e o vocal da cantora ficam em segundo plano.

Em “Unconfortable”, da banda Halestorm, mais agitada, também notei uma deficiência nos níveis mais altos da canção, resultando em uma guitarra abafada e vocais sem brilho. Essa deficiência também afeta as vozes masculinas, porém com menos intensidade.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Resumindo, se você curte pop (e suas variações), eletrônica e músicas mais antigas, o OnePlus Buds Z deve agradar aos ouvidos menos exigentes. Agora, em outros gêneros, a falta de médios e agudos fica muito presente, resultando em uma experiência "sem vida".

O OnePlus Buds Z deve agradar aos usuários que curtem eletrônica e pop, pois as batidas realmente soam vibrantes. Entretanto, fãs de rock devem fugir desse fone, já que os médios e agudos são totalmente esquecidos.

Com relação ao microfone, me surpreendi positivamente pela captação bem definida e sem aquele efeito muito metalizado, encontrado em fones de mesma categoria e até mais caros. Além disso, o fone não captou muitos ruídos e barulhos externos enquanto eu mandava mensagens de voz no WhatsApp, por exemplo.

Bateria e carregamento

Segundo a OnePlus, o Buds Z tem uma autonomia de até 20 horas, sendo cinco horas somente dos earbuds. Em um dos dias de teste, iniciei a reprodução de músicas às 6h30 com 100%, conectado a um iPhone 12 e volume ajustado em 70%. Por volta das 11h45, os fones já haviam descarregado — ou seja, ele cumpre o prometido.

Infelizmente, não pude verificar a porcentagem de bateria dos fones durante os testes porque o iOS não disponibiliza essas informações, como acontece na central de notificações do Android.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

O carregamento do OnePlus Buds Z fica por conta do estojo com entrada USB-C. A chinesa afirma que apenas 10 minutos na tomada garantem três horas de reprodução de músicas. Eu não consegui esgotar toda a carga da case durante os testes, mas o carregamento dos earbuds no acessório é de fato bem rápido.

Ficha técnica

  • Peso: fones: 4,35g / estojo: 40g;

  • Dimensões: fones: 3,7cm x 2,3cm / estojo: 7,5cm x 3,59cm x 2,9cm;

  • Driver: 10mm dinâmico;

  • Sensibilidade: 97 dB ± 3dB @ 1 KHz;

  • Resistência: IP55;

  • Bluetooth: 5.0 (alcance de até 10m);

  • Bateria: até 20 horas (5 horas dos fones).

Concorrentes diretos

O OnePlus Buds Z não é vendido oficialmente no Brasil, mas ele pode ser encontrado em varejistas nacionais em torno de R$ 400 e R$ 500. Por esse valor, é possível encontrar modelos bem mais interessantes, como os Galaxy Buds+ e Buds Live, ambos da Samsung, além do JBL Free II.

Os fones de ouvido da Samsung são muito consistentes. Na minha opinião, tanto o Buds+ quanto o Buds Live entregam um som mais equilibrado e brilhante que o OnePlus Buds Z, sem contar com recursos mais completos. Além disso, a sul-coreana tem um ótimo aplicativo compatível com todos os celulares Android e até iPhones.

Samsung Galaxy Buds Live (Imagem: Canaltech)
Samsung Galaxy Buds Live (Imagem: Canaltech)

Já o JBL Free II pode ser encontrado por cerca de R$ 400 e entrega bateria de maior capacidade, qualidade sonora característica da JBL e um design mais compacto.

Conclusão

O OnePlus Buds Z é um fone de ouvido que me fez ter um misto de sensações. O design inspirado nos AirPods é um acerto, além do conforto em usá-lo por longos períodos para trabalhar ou fazer exercícios físicos. A bateria também compre o prometido, embora não se destaque em relação aos concorrentes.

Entretanto, sua qualidade sonora deve dividir opiniões. Os graves são muito presentes, característica ideal para quem curte pop, eletrônica e música antiga, mas os médios e agudos somem completamente. Ou seja, fãs de rock e alternativo devem passar longe dele.

Outro ponto negativo são as funções de toque compatíveis apenas com os celulares da OnePlus. Nos meus testes com o iPhone 12, o fone apenas avançava uma faixa ao dar um duplo toque — eu mal consegui ver a porcentagem da bateria porque não tem aplicativo compatível.

Resumindo: eu recomendaria o OnePlus Buds Z apenas se você já tiver um smartphone da OnePlus e não se importe com a deficiência nos médios e graves que esse produto apresenta. Em outros cenários, eu escolheria algum dos modelos citados acima.

E aí, tem um celular OnePlus e curtiu o Buds Z? Confira a oferta especial que preparamos para você!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos