Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.816,90
    -18,90 (-1,03%)
     
  • BTC-USD

    41.517,30
    +303,56 (+0,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Review HyperX Alloy Origins 60 | Um teclado robusto, mas confuso

·12 minuto de leitura

Já faz algum tempo que algumas fabricantes de periféricos perceberam a demanda por acessórios cada vez mais compactos. Assim, surgiu uma onda de teclados do tipo TKL, sigla que denomina os modelos do tipo Ten-Key-Less, ou seja, com dez teclas a menos — já que não há o teclado numérico.

Esses produtos já são bem compactos, mas a HyperX resolveu ir além e reduzir ainda mais os teclados. A marca que já é conhecida por ideias mirabolantes inova mais uma vez ao apresentar um dos menores teclados para gamers e entusiastas que buscam qualidade, cores vibrantes para seus acessórios e uma experiência diferenciada na jogatina.

O HyperX Alloy Origins 60 recebe esse nome por ser uma versão com 60% do tamanho de um teclado comum. Para tanto, a fabricante retirou o teclado numérico e realocou teclas de função e até mesmo as setas. Com isto, este dispositivo chega para oferecer uma solução para os gamers que necessitam de mais espaço na mesa, mas não abrem mão da versatilidade.

Com switches mecânicos, iluminação RGB personalizável, ajuste de altura, cabo USB removível e alto padrão de qualidade, o HyperX Alloy Origins 60 chama muita atenção. Apesar de tantos benefícios, trata-se de um produto de alto valor. Dessa forma, a questão que fica é: será que vale o investimento ou as mudanças radicais de layout complicam a usabilidade?

Prós

  • Muito confortável;

  • Design chamativo;

  • Qualidade de construção de primeira;

  • Switches mecânicos;

  • Muitos efeitos de iluminação.

Contras

  • Layout americano;

  • Sem teclas dedicadas;

  • Teclas fundamentais habilitadas com botão Fn;

  • Preço elevado.

Design, construção e conectividade

Qualidade é a palavra que melhor define o HyperX Alloy Origins 60. Com estrutura toda em alumínio que tem “grau de aviação” — material comumente utilizado para construção de aeronaves —, este modelo promete durabilidade e resistência de alto nível.

Tal característica na construção do produto implica também em um acréscimo de peso significativo, o que resulta em melhor aderência na superfície, de modo que o teclado permanece imóvel mesmo durante movimentos bruscos.

Além da robusteza, a fabricante também se atentou aos detalhes, de modo que o capricho está presente nas minúcias. As curvas levemente perceptíveis nos cantos e nas bordas dão um toque de elegância, que casa perfeitamente com as teclas desenhadas com uma leve curvatura.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

A cor preta é predominante no design deste periférico, mas as teclas têm um tom de cinza levemente mais claro do que a base do produto. Isso garante sutileza ao produto, sendo uma característica que permite a combinação do teclado com diferentes modelos de mouse.

O Alloy Origins 60 é um teclado muito compacto, tanto que ele pode até causar certa estranheza. Conforme já comentamos, este não é apenas um modelo do tipo TKL, mas um dispositivo que tem outras teclas importantes realocadas.

  • Dimensões (L x A x P): 29,60 x 3,69 x 10,55 cm

  • Peso (teclado e cabo): 781,5 g

A principal proposta aqui é entregar um produto para ambientes com pouco espaço. Ao remover o teclado numérico e as teclas de função — que são acessíveis através dos números na parte superior na combinação com a tecla Fn —, a fabricante conseguiu poupar muito espaço. Com isso, o Alloy Origins 60 é até menor do que um Magic Keyboard da Apple na profundidade.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

Obviamente, o diferencial aqui são as teclas com switches mecânicos da própria HyperX. Os componentes usados neste teclado são do tipo Red, que têm operação linear e não exigem muita força para ativação. Esses switches são silenciosos (ou seja, não têm o clique audível), porém é claro que algum som é emitido durante a digitação mais rápida.

Pela lateral, podemos ver que todas as linhas têm alturas similares, mas as teclas são levemente inclinadas para trás, ou seja, com a parte frontal mais elevada do que a traseira. Isso pode parecer um tanto esquisito, mas pode ficar tranquilo que não há nada de errado aqui, pois tal disposição é compensada pela inclinação da base do teclado, de modo que cada fileira fica posicionada estrategicamente para garantir a digitação confortável.

Na parte de baixo, podemos ver quatro áreas emborrachadas, que têm o propósito de garantir a aderência ao produto sobre as superfícies. Além disso, aqui também temos “pezinhos” que servem para realizar o ajuste de altura. É possível regular o posicionamento em três ângulos, então fica fácil posicionar de acordo com sua preferência.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

Uma boa notícia é que a HyperX incluiu aqui um cabo de 1,8 metro, que é reforçado e tem revestimento trançado. Este acessório usa conexão USB Tipo C na ponta que é encaixada no teclado e USB Tipo A na outra extremidade. Trata-se de um modelo do tipo removível, o que significa que é possível substituí-lo ou usar outro cabo caso você queira.

Acompanha o produto ainda duas teclas adicionais: uma Barra de espaços e uma tecla tradicional. Para instalá-las, basta usar o acessório removedor de teclas que também vem junto com o teclado.

RGB no HyperX Alloy Origins 60

Os caracteres e elementos desenhados no topo das teclas do HyperX Alloy Origins 60 são de um tom cinza bem claro e translúcido, o qual possibilita a passagem da luz, um truque evidente para ativar a iluminação RGB e garantir um efeito chamativo.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

Aliás, eis aqui um detalhe importante: boa parte do visual é definido pela iluminação RGB, ou seja, a aparência do produto é, de certa forma, diretamente impactada pela configuração que o usuário faz nas luzes, o que significa um visual único para cada pessoa.

As configurações de fábrica mostram combinações menos tradicionais, então nada de tons com muita saturação ou efeitos ordinários. A animação do tipo “confete” que vem por padrão mostra cores mais suaves, com transições dinâmicas e lentas. Obviamente, todas essas opções podem ser alteradas no software do teclado.

Um detalhe muito interessante é que, além da iluminação transpassar as teclas, ela também ilumina muito bem o ambiente ao redor, uma vez que os botões ficam bem elevados permitindo que a luz vaze pelas frestas. Isso garante um efeito muito legal para o cenário onde você instalar o seu computador.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech
Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Esses efeitos de iluminação ficam ainda mais bonitos na Barra de Espaço adicional que acompanha o teclado, esta que tem um um desenho especial, composto por uma série de ondas e curvas aleatórias, o que garante um visual quase hipnótico com as luzes de tonalidade mais suave.

Ergonomia

O HyperX Alloy Origins 60 é um teclado projetado para entregar conforto para o usuário e, com certeza, é um dispositivo que deve se adaptar facilmente aos diferentes tipos de usuários. No geral, ele entrega boa ergonomia com os diferentes níveis de ajustes.

Por outro lado, este produto peca por não ter um apoio para pulsos. Neste quesito, a questão da usabilidade pode ser levemente impactada dependendo do costume de cada pessoa. Particularmente, eu uso este tipo de acessório e acho imprescindível, mas confesso não há grande desconforto mesmo após longos períodos de utilização sem isso junto do teclado.

Falando em usabilidade, o HyperX Alloy Origins 60 não usa o padrão ABNT 2, o que pode ser um inconveniente para quem já está habituado com acentos e caracteres especiais usados nos modelos brasileiros. Entretanto, a adaptação com o layout americano não deve ser um grande problema, bastando reaprender alguns atalhos para conseguir digitar rapidamente em pouco tempo.

A ideia de proporcionar um modelo de teclado extremamente enxuto para os jogadores é bem válida, mas há algumas considerações bem importantes a pontuar. Ainda que o foco seja jogatina, um teclado certamente será utilizado em outras situações, seja no uso do sistema, para acessar websites, enviar mensagens ou digitar longos textos.

Eis aqui o grande problema do HyperX Alloy Origins 60: é extremamente difícil se habituar com o layout adaptado do produto. Eu digo isto com propriedade, pois eu pretendia escrever todo este review usando o dito teclado, mas eu simplesmente desisti no meio do processo e voltei para o meu Corsair K68, uma vez que o modelo da HyperX dificulta muito a vida no dia a dia.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

Explico: ao realocar teclas básicas como as setas de navegação, o usuário deve usar a tecla Fn para ativar tais funções, que aqui ficam inseridas nas teclas “Alt” (seta para esquerda), “Menu de Contexto” (seta para baixa), “Ctrl” (seta para direita) e “/?” (seta para cima). Com isso, a simples navegação entre linhas no Word vira um pesadelo.

Sinceramente, se a ideia era poupar espaço, a fabricante deveria focar antes na usabilidade e não seria necessário fazer grandes alterações. Por exemplo: as setas poderiam permanecer onde estão, desde que as teclas “Ctrl”, “Alt” e “Menu de Contexto” fossem acessadas com o uso do “Fn”, bem como, a “Seta para cima” poderia dividir espaço com a tecla Shift.

O posicionamento inusitado de outras teclas também inviabiliza uma série de facilidades do dia a dia. Se você está acostumado a usar as teclas “Home” e “End” (para pular para começo ou fim de uma linha, bem como para facilitar a navegação em páginas da web), isto fica bem complicado aqui, pois é preciso apertar a tecla “Fn” e ainda localizar onde estão tais funções.

O mesmo argumento vale para as teclas de controle de multimídia (Play/Pause, Retroceder e Avançar), que estão em locais bizarros, e leva muito tempo para memorizar os novos posicionamentos. Alguns recursos como o controle de iluminação não são usados diariamente e não devem incomodar muito o usuário, mas, no geral, a experiência com este teclado é bem complicada.

Imagem: Ivo/Canaltech
Imagem: Ivo/Canaltech

Falando na jogatina, que é o foco do produto, eu não tenho dúvidas de que este modelo deve propiciar uma experiência excelente na maioria dos games. Em meus testes, eu joguei alguns títulos de FPS e não tive qualquer desconforto. Todavia, há que se notar que o mapeamento das setas pode ser um problema em alguns games.

Dito tudo isso, fica a questão: tem como remediar os problemas das setas e outras teclas específicas? A resposta é: sim e não. Com o uso do HyperX NGENUITY, o usuário pode configurar o teclado de forma fácil e rápida, sendo possível configurar a iluminação e até mesmo mudar as funções de cada tecla.

Dessa forma, é fácil alterar as teclas “Ctrl”, “Alt”, “Menu de Contexto” e “/?” para ativar as setas sem o uso do comando “Fn”. Todavia, isto causa o seguinte problema: fica impossível usar o “ponto de interrogação”. Então, dá para resolver algumas coisas, mas isso pode gerar outros inconvenientes.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech
Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

O HyperX Alloy Origins 60 funciona sem qualquer driver no Windows 10, o que é uma característica muito positiva, já que ele vem com vários perfis de cores e todos os atalhos funcionam sem truques adicionais. Ele também é compatível com PS4 e Xbox One, mas nos consoles há poucos jogos habilitados para esse tipo de entrada, então a utilidade é mais para navegação e pesquisas.

O HyperX Alloy Origins 60 é um teclado de alta qualidade, com design ousado e um sistema de iluminação impressionante, mas a configuração alternativa de teclas torna o uso do produto bastante complicado no dia a dia. É uma opção razoável para gamers que quase nunca trabalham com textos e precisam de um modelo muito compacto.

Concorrentes Diretos

O mercado de periféricos compactos está recheado de boas opções, de modo que este teclado da HyperX enfrenta vários concorrentes robustos e com características muito atraentes.

O Alloy Origins 60 costuma variar de R$ 800 a R$ 1.000, um preço alto. Por isso, temos como sugestão produtos mais baratos e compactos.

Primeiro, se você quer um modelo pequeno, recomendamos o Cooler Master SK620, que tem quase as mesmas medidas e qualidades (cabo USB-C removível, iluminação RGB e outras), porém se destaca pelas setas dedicadas. E o melhor é o preço, custando até metade do valor cobrado pelo Alloy Origins 60. Ou seja, dá para pagar muito mais barato e ter uma experiência confortável em jogos e no dia a dia.

Depois, temos o HyperX Alloy Origins Core, que é um modelo sem teclado numérico, mas que tem teclas com funções comuns (como Home, End, Print Screen) dedicadas e ainda entrega as setas direcionais. Ele é um pouco maior, mas ainda tem layout ABNT2, iluminação RGB e também custa metade do preço do Alloy Origins 60, sendo uma excelente opção.

Outro modelo bem interessante é o Cooler Master CK530. Ele segue a ideia do HyperX Alloy Origins Core, sendo um modelo um pouco maior, já com setas e várias teclas dedicadas, iluminação RGB e até apoio para os pulsos. O único contraponto é o layout americano, mas o preço também é convincente.

Conclusão

O teclado HyperX Alloy Origins 60 é um bom produto. Ele tem acabamento caprichado, design moderno, sistema de iluminação incrível, boa performance em jogos e outras tantas qualidades, mas absolutamente nada disso compensa as diversas complicações que encontramos ao testar o produto nas tarefas mais banais.

Ainda que alguns ajustes no software possam compensar as dificuldades no uso diário, é muito complicado chegar a uma fórmula ideal para obter um balanço entre usabilidade e funcionalidade, ou seja, uma experiência ideal para produtividade do cotidiano sem tirar nenhum recurso.

Além disso, é fundamental destacar as diferenças preço. Conforme esclarecemos, há vários concorrentes diretos do produto com medidas levemente maiores, mas capazes de entregar excelente desempenho em gaming e oferecer outros benefícios sem implicar em grandes adicionais ao preço final.

Assim, nós podemos dizer que o HyperX Alloy Origins 60 pode ser um bom teclado para gamers, mas nós não recomendamos este modelo, uma vez que há produtos competitivos bem mais atraentes. Obviamente, com uma boa redução de preço, este HyperX pode ser uma opção mais sensata, porém certamente não será nossa principal recomendação para usuários que necessitam de um acessório versátil.

Gostou do HyperX Alloy Origins 60? Então, aproveite que nós separamos uma oferta especial para você:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos