Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.441,03
    -635,14 (-0,49%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.286,46
    +400,13 (+0,79%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,78
    +0,49 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.879,50
    -16,90 (-0,89%)
     
  • BTC-USD

    35.568,35
    -1.067,99 (-2,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,19
    -17,62 (-1,87%)
     
  • S&P500

    4.247,44
    +8,26 (+0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.479,60
    +13,36 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.134,06
    +45,88 (+0,65%)
     
  • HANG SENG

    28.842,13
    +103,25 (+0,36%)
     
  • NIKKEI

    28.948,73
    -9,83 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    13.992,75
    +33,00 (+0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1926
    +0,0391 (+0,64%)
     

Review Haylou RT | O preço baixo faz dele uma boa alternativa para a Mi Band 6?

·11 minuto de leitura

A fitness tracker Haylou RT, que é caracterizada por muitos como smartwatch, é a novidade pertencente ao portfólio de mais uma marca de acessórios subsidiária da Xiaomi. O aparelho traz recursos familiares para aqueles acostumados a usarem pulseiras inteligentes.

Contando com uma ótima autonomia, compatibilidade com sistema Android, e ferramentas de alta popularidade nesta categoria de produto, temos características fundamentais para ele ser visto com uma opção interessante.

Em adição, o preço baixo e a tela maior podem transformá-lo em uma alternativa atrativa para o uso diário, principalmente para quem não necessita de um dispositivo mais independente. Mas, será que esses diferenciais realmente fazem do Haylou RT uma opção melhor do que as Mi Bands? Confira na análise completa!

Prós

  • Alta durabilidade da bateria

  • Preço baixo

  • Rastreamento constante e preciso

Contras

  • Apenas seis opções de watch faces

  • Poucos tipos de exercícios em relação aos concorrentes

  • Não possui tradução para português

  • Proteção IP68 "fake"

Design e Construção

O Haylou RT possui um formato circular, assemelhando-se visualmente aos smartwatches mais premium. Porém, ele é todo construído em plástico, ajudando até mesmo a abater o preço em relação a outros aparelhos.

Mesmo com 50,4 gramas ele não é muito pesado no pulso, seja ao usá-lo como acessório inteligente ou para atividades físicas. E essa percepção é importante, inclusive, para o público feminino, onde modelos mais robustos ficam mais incômodos no pulso.

Todavia, o uso desse tipo de material na construção dele não o deixa frágil, pois é possível sentir uma boa resistência no uso diário. Na lateral direita existem dois botões de acesso rápido, mas eles são limitados, pois o superior só liga e desliga a tela, ou desativa por completo o relógio.

Já o inferior é um atalho para a área de esportes, mas não permite selecionar, sendo um acréscimo desnecessário, haja vista que não ajudar o usuário a evitar ficar tocando o tempo todo no display.

E por falar na tela, ela é TFT de 1,23 polegadas em resolução 240 x 240, um tamanho interessante para este tipo de aparelho. Com o brilho no máximo, a visibilidade do conteúdo não é tão atrapalhada pela luz do sol, se mostrando uma opção bem ajustada neste quesito.

Tela do Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)
Tela do Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)

No verso existem os sensores responsáveis pela leitura de diferentes opções presentes no Haylou RT, incluindo batimentos cardíacos. Na mesma área estão os conectores de carregamento, que são magnéticos, e possuem um cabo próprio para uso na tomada, que vem com uma entrada USB para o inserir no carregador de tomada ou plugar na entrada referente de qualquer dispositivo.

Aos usuários que gostam de personalizações, não existem muitas alterações que podem ser feitas no visual externo do aparelho, somente a troca das pulseiras de silicone, que são de fácil remoção e limpeza.

Internamente, uma tecnologia importante que pode ser encontrada nele é a certificação IP68, que oferece proteção contra à e poeira. Porém, mesmo com opções mais baratas e simples sendo utilizáveis em outras atividades, a Haylou RT possui um uso “fake”.

Digo isso entre aspas porque existem limitações no uso, sendo remendado pela fabricante somente contra danos causados pelo suor, chuva e banho. A empresa ainda deixa claro que não há proteção garantida em atividades que exigem ainda mais contato com a água, como surfe, mergulho e sauna.

Configuração e Desempenho

Por não contar com um sistema operacional próprio, o Haylou RT tem uma dependência maior de conexão com o celular. Então, é ideal que se tenha o aparelho sempre por perto para o funcionamento ser mais útil.

A interface dele é bem intuitiva, com ícones chamativos que ajudam a “camuflar” a falta de tradução para o português, pois os números possuem um bom tamanho para o aproveitamento da tela.

Recursos do Haylou RT (Imagme: Ivo/Canaltech)
Recursos do Haylou RT (Imagme: Ivo/Canaltech)

A fabricante não informa a quantitade de memória interna nem RAM, mas o relógio consegue manter alguns dados em cache para serem sincronizados com o smartphone ao ligar o Bluetooth. Porém, é importante não contar com essa opção o tempo todo, fique constantemente conectado ao aparelho.

Durante o uso, não existem travamentos, a navegação é normal. Quando comparado com as smartbands e smartwatches, não há dúvidas que existe uma velocidade menor, mas, quem se adapta rápido, vai acostumar e deixará de sentir no dia a dia.

Acompanhamento Físico

Assim como a definição diz que se trata de uma fitness tracker, utilizar a Haylou RT para movimentações diárias e atividades físicas é algo que transmite muito conforto para o usuário, pois o acessório reage de maneira positiva.

No menu de recursos, ele traz algumas opções muito interessantes, como o “Status”, em que os principais rastreamentos são mostrados em detalhes, como contagem de passos e distância percorrida.

Nesta área de ferramentas, também está presente a possibilidade de leitura dos batimentos cardíacos, com uma animação que exibe o nível do coração, uma boa maneira de analisar como está a frequência média.

Opções esportivas do Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)
Opções esportivas do Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)

Em “Sports” estão 12 atividades que podem ter um monitoramento próprio, variando de acordo com os movimentos que cada um possui como padrão. Entre as atividades estão: corrida, caminhada, esteira, yoga, futebol, basquete e natação.

Atualmente, a Xiaomi tem focado bastante nos exercícios indoor – em casa – mas ainda faltam algumas alternativas importantes para este propósito no Haylou RT, até mesmo os treinos mais populares, como abdominal e flexão.

Nos dias de experiência para análise, eu usei o aparelho para saber como estava o meu rendimento na bicicleta ergométrica. Porém, como o equipamento possui um monitorador próprio, foi possível comparar os dados e no relógio foi notória a diferença no cálculo de calorias, mesmo havendo compatibilidade no batimento cardíaco.

Conforme as informações são captadas, para ter acesso posterior é necessário conectar o acessório com o aplicativo “Haylou Fun”, que pode ser baixado para Android e iOS. Assim que o aparelho é ligado, já aparece o código QR para escanear com o celular e ir diretamente para a página de download.

Na tela inicial do app, já existem algumas informações importantes para saber como está o condicionamento físico, batimentos cardíacos e o peso atual. Por ser utilizável com outras fitness trackers, alguns recursos presentes ficam sem registro de atividade.

Ao acessar a aba “Esporte”, três opções de exercícios são mostradas: caminhada, corrida e bicicleta. Ao clicar em começar, um alerta é emitido e a contagem do tempo iniciada, bem como o rastreamento da área percorrida.

Em “Meu” estão os dados do perfil, que são inseridos manualmente. Lá também estão a versão do aplicativo e a configuração que possibilita sincronizar com o Google Fit, mantendo os registros na conta para resgatar posteriormente em outro dispositivo.

Acessando o modelo do relógio, existem outros ajustes que podem ser realizados, como as watch faces, que são 12 opções complementares às seis que já estão no relógio, totalizando 18.

Contudo, a personalização também se faz presente no aplicativo, onde já a função de troca da imagem de fundo por uma foto da galeria, ou selfie tirada no momento, além da cor do horário entre diversas alternativas. Mas, infelizmente, o preview é melhor que a realidade, pois a qualidade da tela deixa a imagem com muitos pixels aparentes.

Assim como a face dele é alterável, nesta área do menu existem elementos complementares ao uso, como a porcentagem da bateria, ajuste do sensor de frequência cardíaca, despertador, aviso de sedentarismo e mais.

O funcionamento das funções do Haylou RT depende do Bluetooth e GPS ligados o tempo todo, o que consome mais bateria do smartphone, e esse pode ser considerado um grande ponto negativo.

Conectividade

O fato de contar com Bluetooth 5.0, mostra que a fabricante está focada em dar tecnologia ao modelo, em conjunto com os aprimoramentos esperados, em relação ao antecessor.

Apesar da necessidade de estar conectado ao celular para registrar de fato alguns dados, é possível que o relógio crie um cache dessas informações para que o recurso não fique ativado o tempo todo no smartphone.

Com isso, o Haylou RT aproveita esse armazenamento de curto prazo e, ao ligar o Bluetooth, faz com que esses elementos sejam rastreados e registrados no aplicativo próprio instalado no smartphone.

Para notificações, a fitness tracker precisar estar conectada ao celular o tempo todo, pois não possui uma independência neste quesito. Sendo assim, para ter um preview de mensagens, é necessário manter a comunicação sem fio ativada.

Bateria e Carregamento

Segundo a empresa, a bateria de 300 mAh tem uma durabilidade de 15 dias, porém, no uso prático, a autonomia da bateria alcança mais de 20 dias, mesmo com o monitor de frequência cardíaca ativo 24 horas ao dia e o brilho da tela no máximo.

Comparando com a Mi Band 6, essa durabilidade permite que o carregamento apenas uma vez no mês seja mais do que suficiente para o uso, já que existe a oportunidade de desabilitar o leitor cardiovascular automático.

E por falar em carga, para alcançar a energia total, é necessário deixar o acessório plugado na tomada por uma hora, sendo um grande ponto positivo dos vestíveis sem sistema próprio, como é o caso desse.

Acredito que a bateria durou o período previsto pela fabricante porque deixei o tempo todo com o brilho no máximo e o rastreamento cardíaco constante. Porém, reduzindo a luz do display e desativando o recurso, pode ser que chegue até a um mês.

Concorrentes Diretos

Mesmo com o formato de um relógio, o Haylou RT ainda possui semelhanças de uso, sensor e interface com a Xiaomi Mi Band 6. Porém, comparando com a pulseira inteligente, ele perde em peso e recursos focados em exercícios físicos.

Mas, a tela maior e a bateria com alta duração podem ser os diferenciais essenciais para aqueles que estiverem interessados no dispositivo o comprarem, pois se torna uma opção mais útil na prática de atividades.

Por ser uma versão evoluída do Haylou Solar, ele traz watch faces melhores, uma tela mais brilhante e ícones mais vívidos, upgrades que ajudam a trazer melhorias na experiência de uso.

Então, tendo como comparativo o antecessor, a compra da nova versão pode ser positiva nestes quesitos apresentados, principalmente considerando que não houve uma elevação no preço com o progresso aplicado na nova geração.

Especificações técnicas

  • Tamanho do corpo: 45,5 mm x 12,4 mm

  • Largura da pulseira: 22 mm

  • Peso do relógio (com pulseira): 50,4 g

  • Tela: TFT de 1,28 polegadas

  • Resolução: 240 x 240

  • Bluetooth V5.0

  • Sensor de frequência cardíaca, sensor de aceleração

  • Bateria: 300 mAh

  • Duração média: 15 dias (monitoramento de frequência cardíaca de 24 horas)

  • Requisitos do sistema: Android 6.0 e superior; iOS 11.0 e superior

  • Certificação IP68

  • Aplicativo: Haylou Fun

  • Modos esportivos: corrida ao ar livre, esteira, caminhada rápida, ciclismo, escalada, spinning, ioga, treino livre, ginástica, basquetebol, futebol e remo

Conclusão

O Haylou RT é uma boa opção de fitness tracker para quem quer dar um upgrade em tamanho de display, fugindo do formato menor das pulseiras inteligentes. Porém, o fato de trazer poucas opções de registro de atividades físicas pode ser uma barreira para quem é fisicamente ativo.

A interface integrada diretamente com o aplicativo torna o relógio sempre dependente do smartphone para que informações importantes não sejam perdidas no uso diário. Mas, aos que desejarem praticar exercícios sem levar o celular para a rua, por questão de segurança, o cache do acessório permite o uso de tal alternativa para sincronização posterior com o dispositivo móvel.

Algo que me incomoda muito é a falta de uma tradução para português, como outras opções possuem, limitando muito a capacidade do dispositivo e criando uma barreira na hora da compra para aqueles que não possuem conhecimento do inglês.

Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)
Haylou RT (Imagem: Ivo/Canaltech)

Isso acaba sendo um pouco incoerente, já que o aplicativo pode ser usado no idioma local. Sendo assim, se houvesse uma sincronização entre o relógio e o app, seria muito mais simples fazer essa troca de língua de forma simultânea.

Em bateria, não há do que reclamar, visto que a autonomia de 15 dias, que é prometida pela fabricante, é cumprida à risca, mesmo com a tela em brilho máximo e o rastreio dos batimentos cardíacos sendo realizado com constância.

E por falar na parte cardiovascular, o sensor aprimorado entrega uma precisão importante para a análise diária dos dados, mostrando que a subsidiária da Xiaomi conseguiu acertar na variante com preço médio de R$ 250.

Dessa forma, quem quiser comprar o Haylou RT levará um aparelho limitado em recursos, quando comparado com a Mi Band 6, mas que traz diferenciais interessantes em design, considerando o valor tão próximo da smartband. Mas, como o foco é parecido, a pulseira inteligente continua sendo a alternativa mais recomendável.

Se interessou pelo Haylou RT? Clique no link e confira a melhor oferta!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: