Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,46
    +0,23 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.763,10
    -15,70 (-0,88%)
     
  • BTC-USD

    43.523,86
    +1.399,11 (+3,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,59
    +53,11 (+5,10%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.083,37
    +102,39 (+1,47%)
     
  • HANG SENG

    24.695,07
    +473,53 (+1,96%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.207,00
    +43,50 (+0,29%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2082
    -0,0006 (-0,01%)
     

Review Beats Studio Buds | Fugindo das origens, para o bem e para o mal

·10 minuto de leitura

O segmento de fones de ouvido sem fio no Brasil continua crescendo e uma das apostas mais recentes a desembarcar no nosso mercado é o Beats Studio Buds. Lançado por aqui em agosto deste ano, os earbuds da marca pertencente à Apple apostam em cancelamento de ruído, até 24 horas de autonomia de bateria e emparelhamento simplificado com Android e iPhone.

Mas, afinal, será que vale pagar os salgados R$ 1.799 que a Beats pede, ou temos opções melhores e mais em conta? Eu testei o Studio Buds por alguns dias e compartilho, nos próximos parágrafos, todas as minhas impressões sobre ele.

Antes de começarmos, aviso sempre que, caso você se interesse pelo Beats Studio Buds ao final desta análise, deixaremos links de compra confiáveis para você adquiri-lo. Vamos nessa?

Prós

  • Design ergonômico;

  • Emparelhamento rápido com Android;

  • Bateria cumpre o que promete.

Contras

  • Microfone é decepcionante;

  • Som desequilibrado;

  • Cancelamento de ruído abaixo da média.

Confira o preço atual do Beats Studio Buds

Construção e design

Apesar de pertencer à Apple, a Beats tenta se distanciar em projeto com relação aos produtos da sua empresa-mãe. O Studio Buds, por exemplo, abandona as características hastes dos AirPods, dando lugar a um corpo redondo com um botão multifuncional em formato de pílula — na prática, essa opção de design deixou o produto mais compacto e leve, pesando apenas 5g em cada earbud, mais sutil que o AirPods Pro.

Durante os testes, saí para caminhar e malhar com o Beats Studio Buds e quase não notei a sua presença nos meus ouvidos, o que foi excelente. Além disso, não senti que os fones pudessem cair durante os treinos com muita facilidade mesmo em atividades mais intensas, como corridas.

O formato dos fones é intra-auricular, ou seja, que entra no seu canal auditivo. As borrachinhas padrão já foram suficientes para isolar o som externo e manter os earbuds mais seguros, mas você pode escolher os que ficam mais firmes no seu canal auditivo.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Como estamos falando de um fone de ouvido relativamente caro, temos um corpo resistente ao suor e à água, cortesia da certificação IPX4. Embora a Beats não destaque em seu site oficial, o Studio Buds suporta apenas respingos d’água, ideal para a prática de atividades físicas — ou seja, nada de tomar banho com ele nos ouvidos ou pegar uma chuva mais pesada.

O visual do Beats Studio Buds é outro destaque. O modelo que analisamos veio na cor denominada pela empresa de “vermelho Beats”. Eu não sei se a empresa chama assim por ser um tom de vermelho somente usado em seus produtos, mas a aparência é muito elegante — e é possível assemelhar a cor à marca, quando você olha pela primeira vez e pensa: “é um produto Beats”.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Como comentei acima, cada earbud tem o seu botão multifuncional em forma de pílula. Infelizmente, eles não são sensíveis ao toque e o clique é bem duro, fazendo com que os fones entrem no canal auditivo a cada aperto. Nos primeiros dias, confesso que foi bem irritante, mas acabei acostumando com o tempo.

Ainda com relação ao botão, com ele é possível reproduzir, pausar, avançar, retroceder ou alternar entre os modos de som dependendo da combinação de toques. Você também pode acionar a assistente de voz do seu celular, seja iPhone ou Android — nos meus testes, com o fone conectado a um Galaxy S20, consegui usar a Bixby sem problemas, o que é ótimo.

A case de carregamento é igualmente compacta e também vem opção de cor “vermelho Beats”. Seu formato é semelhante a de um sabonete, um pouco mais achatado, e não faz muito volume no bolso.

O Beats Studio Buds é muito elegante e foge um pouco da proposta esportiva do Powerbeats Pro. Ainda assim, ele pode ser usado por praticantes de atividades físicas por conta do seu corpo extremamente leve, ergonômico e resistente ao suor.

Conectividade

O Beats Studio Buds é compatível com Bluetooth Class 1, que promete transmissões com alcance de até 100 metros de distância sem interrupções. Obviamente, não cheguei a testar o alcance exato, mas não tive problemas em ao caminhar pela casa com os fones em torno de 20 metros de distância do smartphone, mesmo considerando as paredes.

Um ponto muito positivo dos fones sem fio da Beats é o emparelhamento extremamente simples tanto com iPhones quanto com celulares Android. Cortesia da tecnologia Google Fast Pair, bastou aproximar os fones com a case aberta do meu celular para conectar — e o interessante é que o sistema já exibe uma notificação com a duração de cada earbud e do estojo.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Eu também testei o emparelhamento do Beats Studio Buds com um iPhone 11 e, sem surpresas, tive um desempenho ligeiramente melhor quando comparado com um aparelho Android. Apesar da rapidez na conexão, os fones não são compatíveis com o emparelhamento inteligente entre os produtos da Apple, presente no AirPods Pro, por exemplo.

A Beats disponibiliza um aplicativo dedicado para seus fones de ouvido, disponível tanto para celulares Android quanto iPhones. Chamado de apenas de “Beats”, o software é extremamente simples e exibe os modos de som logo de cara, como cancelamento de ruído e som ambiente. As configurações do botão multifuncional também se encontram se forma fácil.

Um dos principais diferenciais do Beats Studio Buds é o emparelhamento extremamente fácil tanto com celulares Android quanto com os iPhones.

Experiência sonora e microfone

Minha experiência com Beats Studio Buds foi uma mistura de sensações. O som é um pouco mais neutro, mas tende para o lado dos agudos e, principalmente, médios, deixando os graves em segundo plano. Como um usuário que prefere músicas mais encorpadas, cheias de bumbos e baixos, não curti muito o desempenho dos fones da Beats, mas ele tem seu público.

Geralmente, em canções de rock, como Africa, da banda Weezer, foi possível distinguir com clareza todos os instrumentos e a voz do vocalista — inclusive, esses fones são ótimos para ouvir bandas como Radiohead. Entretanto, as músicas não têm muita presença, destacando mais os pratos e guitarras aos bumbos e baixos. Além disso, no volume mais alto essas frequências ficam muito estridentes.

Também percebi um desequilíbrio nas frequências em Up, da rapper Cardi B. Em fones como o Galaxy Buds 2, o qual já tive a oportunidade de analisar, a música soa muito mais enérgica, dando destaque para as batidas mais altas, mas não deixando de lado os detalhes mais baixos que geralmente fazem você se arrepiar — por aqui, os médios e agudos são estridentes e ofuscam os graves.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Com relação à tecnologia de cancelamento de ruído, gostei do resultado obtido pelo Beats Studio Buds, mas esperava mais principalmente considerando a sua faixa de preço. Durante os testes, foi possível ouvir alguns ruídos externos andando numa das avenidas mais movimentadas da zona norte de São Paulo, por exemplo, um resultado ligeiramente inferior ao alcançado pelo Galaxy Buds 2.

Além disso, na academia também pude ouvir as músicas “ambiente” do local — embora elas geralmente sejam bem altas —, mas as vozes das pessoas foram acertadamente controladas.

O microfone do Beats Studio Buds também não teve um desempenho muito condizente com a sua proposta premium. Usando o gravador de voz oficial do Galaxy S20, notei que a captação soou abafada — como se eu estivesse longe dos fones — e minha voz ficou com um efeito metalizado mais agressivo que no Buds 2. Além disso, em ambientes muito movimentados a captação é mais prejudicada e pega muitos ruídos.

O som do Beats Studio Buds não me agradou por destacar os agudos, médios e médios altos, deixando os graves ofuscados. No entanto, em músicas de rock foi possível distinguir com clareza todos os instrumentos e a voz do vocalista.

Bateria e carregamento

Segundo a empresa, o Studio Buds promete oito horas de reprodução de música sem o cancelamento de ruído ativo, caindo para cinco horas de autonomia com o recurso ligado. Felizmente, os fones cumprem o prometido.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Em um dos dias de teste, iniciando uma playlist às 6h30 com o volume em 70% e a tecnologia de cancelamento de ruído ativada, o Beats Studio Buds descarregou completamente por volta das 11h40, uma autonomia dentro do esperado para um produto premium. Com o ANC desativado, esse número subiu para cerca de 7h30, um pouco abaixo das 8h prometidas pela Beats.

O carregamento do Studio Buds fica por conta do estojo com entrada USB-C. Infelizmente, não temos suporte a carregamento sem fio por aqui, mas a velocidade de recarga padrão é rápida e a empresa ainda garante uma hora de reprodução de música com apenas cinco minutos dentro da case, cortesia da tecnologia Fast Fuel.

Ficha técnica

  • Peso: 5 gramas por fone de ouvido;

  • Conexão: USB-C;

  • Bateria: até 5 horas c/ ANC; até 24 horas com o estojo;

  • Bluetooth: Class 1;

  • Recursos extras: cancelamento de ruído ativo, Som Ambiente, recarga rápida;

  • Certificação: resistente a respingos d'água;

  • Cores: preto, branco e "vermelho Beats";

  • Conteúdo da caixa: fones, estojo de carregamento, guia, cabo USB-C, cartão de garantia e borrachinhas extras.

Concorrentes diretos

O Beats Studio Buds chegou ao mercado com recursos e preço para brigar no topo do segmento dos fones de ouvido sem fio. Entre seus principais concorrentes à venda aqui no Brasil posso citar o Samsung Galaxy Buds 2, seu “irmão” AirPods Pro e o Sony WF-1000XM3.

Apesar de contar com um design um pouco menos interessante e uma autonomia de bateria similar, o Buds 2 se sobressai em todos os outros quesitos em relação ao Beats Studio Buds. A qualidade sonora é superior na minha opinião, trazendo graves potentes, mas não estourados, vozes, guitarras e baterias brilhantes, e foco nos detalhes, como sintetizadores e efeitos sonoros ao fundo.

O microfone dos fones da sul-coreana também são superiores, mesmo possuindo um aspecto levemente metalizado resultado da compressão padrão dos fones Bluetooth. O isolamento ativo e passivo do Buds 2 é outro destaque, sendo possível andar em locais barulhentos sem ser interrompido.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Se você procura um fone sem fio que esteja próximo do ecossistema da Apple, talvez o AirPods Pro seja o mais indicado. A qualidade sonora é excelente, o cancelamento de ruído é competente e o suporte ao chamado Áudio Espacial, tecnologia que promete uma experiência sonora multidimensional, também está presente. Embora ele apareça por mais de R$ 2 mil no site oficial da Apple, é possível encontrá-lo no varejo por preços que variam entre R$ 1,5 mil e R$ 1,7 mil.

(Imagem: Ivo/Canaltech)
(Imagem: Ivo/Canaltech)

Outro modelo que se sai melhor quando comparado com o Studio Buds é o Sony WF-1000XM3. Ele tem uma qualidade sonora excelente e um dos melhores sistemas de cancelamento de ruído do mercado. O melhor é que ele pode ser encontrado por cerca de R$ 1.000 no Brasil.

(Imagem: Divulgação/Sony)
(Imagem: Divulgação/Sony)

Conclusão

O Beats Studio Buds é um fone de ouvido sem fio que equilibra os pontos positivos e negativos — algo que não pode acontecer em um produto lançado por R$ 1.799. Seu design é único e resistente — ideal para atividades físicas —, a bateria aguenta cinco horas de reprodução de músicas e até 24 horas com a case, e o emparelhamento extremamente simples com celulares Android me conquistou.

Entretanto, os elogios acabam por aqui: o cancelamento de ruído não é tão eficiente quanto o de seus concorrentes, a captação do microfone é muito comprimida e o som não me agradou muito, já que tende mais para os médios e agudos, deixando os graves em segundo plano.

Dito tudo isso, fica muito difícil recomendar o Beats Studio Buds em um segmento premium com concorrentes "quase perfeitos", como o seu "irmão" AirPods Pro e o Galaxy Buds 2. Ambos os fones trazem qualidade sonora mais envolvente, cancelamento de ruído mais eficaz e preços não muito diferentes. Talvez em um futuro Studio Buds 2 a Beats consiga corrigir esses problemas e fazer um produto mais próximo dos AirPods — o que não seria uma coisa ruim, no final das contas.

E aí, após saber dos pontos positivos e negativos do Beats Studio Buds, curtiu o produto? Confira a oferta especial que preparamos para você!

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos