Mercado fechado

G7 tem conferência nesta terça-feira para discutir coronavírus

Centro comercial em Pequim

Os ministros da Economia e os presidentes dos bancos centrais dos países membros do G7 farão uma reunião telefônica na terça-feira (03) para coordenar ações diante da epidemia de coronavírus, informou nesta segunda-feira (02) o Departamento de Tesouro americano à AFP.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, e o presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, conduzirão "uma reunião telefônica com os seus pares do G7 na terça pela manhã", no horário de Washington, disse um porta-voz.

"Essa semana teremos uma reunião por telefone - porque temos que evitar os descolamentos ao máximo - dos ministros do G7 para coordenar respostas", tinha adiantado mais cedo o ministro francês da Economia, Bruno Le Maire, à emissora France2.

Uma reunião similar do Eurogrupo está prevista para a quarta, acrescentou.

"Haverá uma ação agendada", informou.

A chamada do G7 está marcada para a terça às 9h, no horário de Brasília, enquanto a do Eurogrupo está agendada para a quarta às 10h, no horário de Brasília, explicou o ministério da Economia francês.

A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, declarou nesta segunda-feira que a instituição está "preparada para adotar as medidas apropriadas" diante dos riscos para a economia do novo coronavírus.

"A epidemia de coronavírus é uma situação que evolui rapidamente, o que gera riscos para as perspectivas econômicas e o funcionamento dos mercados financeiros".

"O BCE acompanha de perto os acontecimentos e suas implicações na economia e na inflação a médio prazo. Estamos preparados para tomar as medidas adequadas se necessário".

A epidemia de coronavírus atingiu os mercados financeiros na última semana, preocupados pelas repercussões da expansão do vírus para a economia.

Mas nesta segunda-feira Wall Street fechou em forte alta, graças à expectativa envolvendo ações de apoio à economia por parte dos Bancos Centrais.

O Dow Jones Industrial Average avançou 5,09%, a 26.703,32 pontos, e o índice tecnológico Nasdaq ganhou 4,49%, a 8.952,17 unidades.

O indicador S&P 500 das maiores empresas de Wall Street subiu 4,60%, a 3.090,23, após a pior semana da Bolsa americana desde 2008 nos Estados Unidos.

O novo coronavírus já atinge 69 países e territórios, levando ao fechamento de fábricas, cortes na produção e cancelamentos de viagens.

Nesta segunda-feira, a OCDE reduziu suas previsões sobre o avanço da economia mundial devido ao novo coronavírus, e espera um crescimento de 2,4% em 2020.

A organização adverte que o mundo poderá até registrar recessão no primeiro trimestre.