Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.487,95
    -1.453,73 (-1,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.454,24
    -1.145,14 (-2,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,27
    -1,87 (-2,20%)
     
  • OURO

    1.841,10
    +9,30 (+0,51%)
     
  • BTC-USD

    35.911,49
    +926,94 (+2,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    816,55
    +5,95 (+0,73%)
     
  • S&P500

    4.296,52
    -101,42 (-2,31%)
     
  • DOW JONES

    33.565,96
    -699,41 (-2,04%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    -309,09 (-1,24%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.158,00
    -268,50 (-1,86%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2323
    +0,0423 (+0,68%)
     

Retorno de passageiros não reverte perdas de aéreas dos EUA

·2 min de leitura

(Bloomberg) -- Atrasos relacionados à ômicron atrapalham os planos de viagens para as festas de fim de ano e ampliam o período de perdas para ações de companhias aéreas, que começou em março de 2021.

Most Read from Bloomberg

O índice S&P 500 Airlines mostra queda nos últimos oito meses, com a reversão da subida de um ano iniciada logo após o surgimento da pandemia em 2020. No ano passado, investidores viam o índice, que inclui as cinco maiores operadoras dos EUA, como uma referência para a aposta na recuperação e um prenúncio do retorno das viagens domésticas e internacionais.

Mas o retorno dos passageiros não sustentou o setor de viagens. Embora ações de companhias aéreas geralmente acompanhem o número de passageiros, os últimos quatro meses mostraram uma divergência devido à escassez de tripulantes, escalas internacionais interrompidas e endividamento de longo prazo das aéreas.

Os problemas trouxeram mais volatilidade à negociação de ações do segmento de viagens, e investidores recorreram aos papéis de aéreas e cruzeiros como um veículo fácil para apostas em volatilidade.

Companhias aéreas registraram alguns dos maiores níveis de volatilidade em 120 dias do S&P 500. Nos dias em que estratégias de volatilidade guiam os retornos do mercado, ações de viagens tendem a apresentar melhor desempenho.

Com a maior demanda recente de investidores por ações mais defensivas ou de grande crescimento, companhias aéreas perdem seu atrativo.

A maioria das aéreas americanas ainda não registrou lucro trimestral desde o início da pandemia de Covid-19. Delta e Southwest foram as duas primeiras a projetar lucro para o quarto trimestre graças à demanda de fim de ano e menores custos com combustível de aviação.

Outras operadoras buscam alternativas. A American Airlines, por exemplo, dá continuidade aos voos exclusivos de carga após uma pausa de 37 anos devido à demanda por entregas.

E, com a ômicron interferindo nas escalas de voos internacionais e na tripulação disponível, aéreas fazem lobby por auxílio federal “crítico” e pressionam pela obrigatoriedade de vacinação. Além disso, o setor continua muito endividado no longo prazo, resultado da captação de fundos em 2020 com prêmios altíssimos, e investidores precisarão considerar como esses desafios complexos afetarão os preços das ações.

Most Read from Bloomberg Businessweek

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos