Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.197,03
    -74,08 (-0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Resultados de busca do TikTok estão repletos de desinformação, diz agência

O TikTok tem mostrado conteúdos com informações falsas em buscas relacionadas a assuntos sobre política, mudanças climáticas, Covid-19, guerra na Ucrânia e outros temas da atualidade, segundo um relatório publicado pela agência de checagem de notícias NewsGuard, nesta quarta-feira (14).

Durante uma pesquisa feita pelo NewsGuard sobre os resultados de busca do TikTok em relação as principais notícias do mundo atual, a empresa analisou os 20 principais resultados de 27 buscas. Com isso, descobriu-se que 19,5% dos vídeos sugeridos continham desinformação.

Dentre as informações falsas encontradas nos resultados de busca pela agência, estavam teorias da conspiração promovidas pelo QAnon e receitas caseiras de hidroxicloroquina — medicamento prescrito usado para tratar malária e lúpus.

Outras pesquisas por termos como “vacina de mRNA” também foram realizadas. Dentre os 10 principais resultados de busca, cinco deles continham desinformação, incluindo alegações de que as vacinas contra a covid causam “danos permanentes nos principais órgãos das crianças”.

Segundo a empresa de servidores e segurança online Cloudfare, o TikTok ocupa a segunda posição no ranking de domínios mais populares do mundo, perdendo apenas para o Google. Para o fundador do NewsGuard, Steven Brill, a presença de conteúdos enganosos e a facilidade de acesso a eles é bastante preocupante, visto que o TikTok é bastante popular entre os jovens.

Pesquisadores encontraram conteúdos falsos relacionados a mudanças climáticas, Covid e política (Imagem: Reprodução/Olloweb/Unsplash)
Pesquisadores encontraram conteúdos falsos relacionados a mudanças climáticas, Covid e política (Imagem: Reprodução/Olloweb/Unsplash)

Comparando resultados de busca do TikTok com o Google

Os pesquisadores do NewsGuard compararam os resultados do TikTok e do Google sobre buscas relacionadas a tiroteios em escolas, aborto, COVID-19, eleições nos EUA, guerra da Rússia na Ucrânia e outras notícias. “Mesmo quando os resultados de pesquisa do TikTok geraram pouca ou nenhuma desinformação, os resultados foram muitas vezes mais polarizadores do que os do Google”, disse a agência, sobre suas descobertas.

A própria ferramenta de pesquisa do TikTok parece projetada de forma que direcione os usuários a conteúdos enganosos em certos casos, segundo os pesquisadores. Quando se digitavam termos como "vacina covid" na busca, por exemplo, a plataforma mostrava sugestões com palavras-chave relacionadas, que incluíam "exposed sobre a vacina covid" e "danos da vacina covid".

Brill também questionou se a proprietária da rede social, a big tech chinesa ByteDance está fazendo esforços suficientes para impedir a proliferação de desinformação; ou se deixa que isso aconteça de forma deliberada, como uma maneira de "espalhar confusão" nos EUA e em outras democracias ocidentais.

O que diz o TikTok?

Em resposta ao NewsGuard, a rede social afirmou que a metodologia do estudo foi falha, considerando que as conclusões foram extraídas de uma pesquisa limitada. “Nossas Diretrizes da Comunidade deixam claro que não permitimos desinformação prejudicial, incluindo desinformação médica, e vamos removê-la da plataforma”, segundo um porta-voz do TikTok.

"Fazemos parceria com vozes credíveis para elevar o conteúdo oficial em tópicos relacionados à saúde pública e fazemos parceria com verificadores de fatos independentes que nos ajudam a avaliar a precisão do conteúdo".

Nos últimos meses, o TikTok fez esforços para conter a proliferação de informações falsas. Em agosto deste ano, por exemplo, a plataforma anunciou a remoção qualquer conteúdo político pago nos EUA. A rede social também diz ter eliminado quase 350 mil vídeos relacionados as eleições presidenciais do país em 2020.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: