Mercado abrirá em 4 h 54 min
  • BOVESPA

    101.915,45
    -898,58 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.698,72
    -97,58 (-0,20%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,02
    +1,84 (+2,78%)
     
  • OURO

    1.789,50
    +13,00 (+0,73%)
     
  • BTC-USD

    56.893,18
    +206,82 (+0,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.465,03
    +22,25 (+1,54%)
     
  • S&P500

    4.567,00
    -88,27 (-1,90%)
     
  • DOW JONES

    34.483,72
    -652,22 (-1,86%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.739,77
    +264,51 (+1,13%)
     
  • NIKKEI

    27.935,62
    +113,86 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    16.384,75
    +234,25 (+1,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3923
    +0,0223 (+0,35%)
     

Restringir viagens por tipo de vacina pode ser discriminação, alerta Opas

·1 min de leitura

Por Daina Beth Solomon

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os países deveriam permitir a entrada de viajantes vacinados, seja qual fora a vacina que receberam, para evitar a discriminação e facilitar o turismo e negócios, disse uma autoridade de alto escalão da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) nesta quarta-feira.

Como as taxas de vacinação estão aumentando, países enfrentam novas dúvidas sobre como conter a disseminação da Covid-19 ao mesmo tempo em que aliviam as restrições de viagem pela pandemia.

Na semana passada, os Estados Unidos disseram que reabrirão a fronteira terrestre com o México, a mais movimentada do mundo, mas só permitirão a entrada de pessoas que foram inoculadas com vacinas autorizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), deixando de fora duas vacinas muito usadas no país vizinho: a russa Sputnik V e uma da chinesa Cansino Biologics.

"É muito importante que países consigam chegar a acordos bilaterais, multilaterais, para que todas as vacinas que estão sendo usadas possam ser aceitas", disse o diretor-assistente da Opas, Jarbas Barbosa, em uma coletiva de imprensa.

"Isso pode facilitar o turismo, pode facilitar os negócios, é do interesse da sociedade."

Recusar pessoas com base em sua vacina poderia impactar viajantes injustamente, argumentou ele, acrescentando: "Isto sem dúvida poderia criar um tipo de discriminação."

Milhões de mexicanos foram vacinados com doses da Sputnik V e da Cansino. O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse que pedirá à OMS que acelere as aprovações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos