Mercado abrirá em 6 h 51 min
  • BOVESPA

    120.636,39
    -605,61 (-0,50%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.495,41
    -962,59 (-2,07%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,35
    +0,37 (+0,70%)
     
  • OURO

    1.849,20
    +9,00 (+0,49%)
     
  • BTC-USD

    35.364,86
    -529,40 (-1,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    702,27
    -12,92 (-1,81%)
     
  • S&P500

    3.798,91
    +30,66 (+0,81%)
     
  • DOW JONES

    30.930,52
    +116,22 (+0,38%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.718,86
    +76,58 (+0,26%)
     
  • NIKKEI

    28.483,19
    -150,31 (-0,52%)
     
  • NASDAQ

    13.031,00
    +45,50 (+0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5060
    +0,0074 (+0,11%)
     

Restrições à mobilidade podem impactar crescimento, diz Campos Neto

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil
·1 minuto de leitura

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou hoje (17) que há uma “suavização” recente na atividade econômica e que o aumento do isolamento social pode impactar o crescimento da economia, no curto prazo.

“Se houver atraso de vacinação que implique em mobilidade menor porque o número de casos está mais alto, a atividade econômica vai ter um impacto. Mas hoje nada indica que isso vai acontecer”, disse, ao apresentar o Relatório de Inflação, nesta quinta-feira (17).

Campos Neto destacou que há avanços no desenvolvimento de vacinas, o que deve levar a uma solução definitiva para a crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Para o presidente do BC, o mercado financeiro “deixou de olhar para soluções temporárias”, como medidas de auxílio à população e às empresas, e passou a considerar a possibilidade de saída da crise. “Uma solução definitiva vai ser mais eficiente do que uma temporária”, disse.

Ele citou a liberação, hoje (17), pelo governo federal, de R$ 20 bilhões para a compra de vacinas. “Os esforços direcionados no sentido da vacinação são mais eficientes do que uma conversa sobre extensão do auxílio emergencial”, ressaltou.

De acordo com Campos Neto, é preciso esperar para avaliar os resultados das medidas relacionadas à vacinação, como a logística e a “reação da população” à oferta de vacinas.

Projeções

No Relatório de Inflação, o BC prevê que o Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país), terminará este ano com queda de 4,4% e em 2021, haverá crescimento de 3,8%.

A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é de 4,3%, este ano, e 3,4%, no próximo ano.