Mercado fechará em 6 h 19 min
  • BOVESPA

    120.597,38
    +535,39 (+0,45%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,65
    +0,30 (+0,49%)
     
  • OURO

    1.783,10
    -10,00 (-0,56%)
     
  • BTC-USD

    55.095,35
    -160,46 (-0,29%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.283,45
    +40,39 (+3,25%)
     
  • S&P500

    4.160,62
    -12,80 (-0,31%)
     
  • DOW JONES

    33.988,30
    -149,01 (-0,44%)
     
  • FTSE

    6.919,85
    +24,56 (+0,36%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.902,25
    -17,00 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6067
    -0,0953 (-1,42%)
     

Representantes das maiores indústrias do país mandam carta a Fux sobre ICMS

JOANA CUNHA
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - ​Federações das indústrias de São Paulo (Fiesp), Minas Gerais (Fiemg) e do Rio de Janeiro (Firjan) enviaram uma carta aberta ao ministro Luiz Fux, presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), pedindo que o ICMS seja mantido fora do cálculo do PIS e da Cofins. O caso é antigo, mas foi resgatado porque, no dia 29 de abril, o Supremo julga os embargos de declaração que discutem a exclusão do ICMS. A relatora do caso é a ministra Cármen Lúcia. Na carta, as entidades dizem que uma mudança no cálculo provocaria insegurança jurídica e que o momento econômico é delicado para o setor. Elas defendem que a perda arrecadatória não deve servir como razão para flexibilizar ou postergar os efeitos da decisão anterior do Supremo, de 2017. Na época, os ministros determinaram que o ICMS não se incorpora ao patrimônio do contribuinte e não pode integrar a base de cálculo dessas contribuições, que são destinadas ao financiamento da seguridade social. De acordo com o voto de Cármen Lúcia, o ICMS não se enquadra entre as fontes de financiamento da seguridade social, porque não representa faturamento ou receita, mas ingresso de caixa ou trânsito contábil a ser repassado ao fisco estadual.