Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.669,90
    -643,10 (-0,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.627,67
    -560,43 (-1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,51
    +0,19 (+0,32%)
     
  • OURO

    1.742,70
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    60.208,58
    +1.022,46 (+1,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.235,89
    +8,35 (+0,68%)
     
  • S&P500

    4.128,80
    +31,63 (+0,77%)
     
  • DOW JONES

    33.800,60
    +297,00 (+0,89%)
     
  • FTSE

    6.915,75
    -26,47 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    28.698,80
    -309,30 (-1,07%)
     
  • NIKKEI

    29.768,06
    +59,06 (+0,20%)
     
  • NASDAQ

    13.783,00
    -46,50 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7627
    -0,0015 (-0,02%)
     

A representante de prefeitos, Pazuello fala em distanciamento, mas não cita lockdown

Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, defendeu, na tarde desta quarta-feira em reunião com representantes dos prefeitos, que eles adotem medidas como distanciamento social e uso de máscaras para enfrentar o atual momento da pandemia, mas não falou sobre a adoção de um fechamento completo (lockdown), segundo relato feito à Reuters pelo presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Glademir Aroldi.

De acordo com o presidente da entidade, no encontro realizado no Ministério da Saúde, Pazuello foi questionado sobre a difícil situação dos municípios. O Brasil passa pelo pior momento da pandemia --na véspera o país bateu o recorde de mortes por Covid-19 em um único dia, com 1.641 óbitos.

Pazuello defendeu a adoção dos cuidados para evitar a contaminação por Covid, mas "não se manifestou" em relação à adoção de um eventual lockdown, segundo Aroldi.

O presidente da CNM afirmou que os prefeitos presentes ao encontro defenderam a necessidade de se agilizar a vacinação. Segundo ele, Pazuello disse que a expectativa é que isso vá ocorrer, com a distribuição de 1,5 milhão a 2 milhões de doses de imunizantes por semana.