Mercado fechará em 4 h 46 min

Repasse do Funcafé a agentes atinge 61% do programado para a safra, diz governo

·1 minuto de leitura
Colheita de café em Alfenas (MG)
Colheita de café em Alfenas (MG)

SÃO PAULO (Reuters) - O Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) repassou a agentes financeiros cerca de 3,5 bilhões de reais para linhas de crédito ao setor até este momento da safra 2020/21, o que representa 61% do volume programado no início da temporada, informou o Ministério da Agricultura nesta terça-feira.

Do montante, 1,18 bilhão de reais foram destinados a linhas de custeio, 1,4 bilhão de reais para comercialização, 535 milhões de reais para aquisição e 417 milhões de reais para capital de giro para indústrias de café solúvel, disse a pasta.

"O volume de recurso já liberado e disponível aos cafeicultores nesse inicio de safra é importante nessa fase de tratos culturais nos cafezais para garantia de boa produtividade", disse em nota o diretor de Comercialização e Abastecimento da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, Silvio Farnese.

De acordo com dados do ministério, o volume total contratado pelas instituições financeiras soma 5,2 bilhões de reais até o momento, ante programação de 5,7 bilhões de reais para a safra.

Entre os 30 agentes financeiros com contrato assinado com o ministério para o Funcafé, o Rabobank encabeça as listas de volumes liberados, com cerca de 422,1 milhões de reais, e de montantes contratados, com 624,7 milhões de reais.

Para a safra atual, os juros foram definidos em até 5,25% para custeio, comercialização e Aquisição - FAC (quando o beneficiário for cooperativa de cafeicultor) e de 6,75% para capital de giro e para FAC (demais beneficiários).

(Por Gabriel Araujo)