Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.800,79
    -3.874,54 (-3,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.868,32
    -766,28 (-1,48%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,81
    +0,19 (+0,26%)
     
  • OURO

    1.812,50
    -18,70 (-1,02%)
     
  • BTC-USD

    41.209,95
    +2.242,95 (+5,76%)
     
  • CMC Crypto 200

    955,03
    +5,13 (+0,54%)
     
  • S&P500

    4.395,26
    -23,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.935,47
    -149,06 (-0,42%)
     
  • FTSE

    7.032,30
    -46,12 (-0,65%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.966,50
    -71,25 (-0,47%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1880
    +0,1475 (+2,44%)
     

Renner compra startup de roupas usadas Repassa

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A rede de varejo Lojas Renner anunciou nesta quinta-feira (15), em fato relevante, a compra da startup Repassa, que atua no segmento de revenda de roupas, calçados e acessórios. O valor não foi divulgado.

De acordo com o diretor-presidente da rede, Fabio Faccio, a compra da plataforma online está alinhada aos objetivos ESG (sigla em inglês para boas práticas ambientais, sociais e de governança) da companhia, que tem unidades no Brasil, Uruguai e Argentina.

"Esta aquisição é o primeiro movimento inorgânico para a consolidação do nosso ecossistema de moda e lifestyle", disse em nota. "Além disso, tem grande aderência aos nossos pilares de atuação, focados na digitalização, na inovação e na sustentabilidade".

Antes da aquisição, a Renner havia iniciado uma parceria com a startup voltada à moda consciente. No ano passado, as empresas fizeram uma ação na qual o cliente poderia deixar suas roupas usadas em sacolas disponibilizadas nas lojas para, posteriormente, serem revendidas pela startup de moda.

O fundador da Repassa, Tadeu Almeida, assim como os principais executivos da startup, permanecerão à frente do negócio de economia circular.

Os processos de avaliação física do estado das peças, venda, divulgação e entrega para clientes continuarão sendo feitos pela plataforma online. Nesse tipo de negócio, os vendedores das peças usadas recebem um percentual sobre as receitas e, caso as roupas não estejam em bom estado para revenda, elas podem ser direcionadas para a doação.

Segundo a Renner, a conclusão da operação está condicionada a questões acordadas entre as partes. A aquisição não será submetida à aprovação de acionistas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos