Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.348,80
    -3.131,73 (-2,54%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.892,28
    -178,63 (-0,39%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,04
    -1,53 (-2,86%)
     
  • OURO

    1.827,70
    -23,70 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    36.521,11
    -705,36 (-1,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    701,93
    -33,21 (-4,52%)
     
  • S&P500

    3.768,25
    -27,29 (-0,72%)
     
  • DOW JONES

    30.814,26
    -177,26 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.735,71
    -66,25 (-0,97%)
     
  • HANG SENG

    28.573,86
    +77,00 (+0,27%)
     
  • NIKKEI

    28.519,18
    -179,08 (-0,62%)
     
  • NASDAQ

    12.759,00
    -142,00 (-1,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3926
    +0,0791 (+1,25%)
     

Renda média familiar de brancos é quase o dobro da de pretos e pardos

Raphaela Ribas
·1 minuto de leitura
Márcia Foletto / Agência O Globo

RIO — A Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018, divulgada hoje pelo IBGE, mostra que a renda e as despesas médias de famílias chefiadas por brancos é muito superior à de pretos e pardos.

A renda média disponível das famílias brasileiras chefiadas por brancos é de R$ 2.241,80. Já se for chefiadas por pretos e pardos, cai para R$ 1.206,76. A renda média da população brasileira é de R$ 1.650,78.

No cálculo, o IBGE considera os rendimentos monetários e aqueles que não envolvem dinheiro (com doações e uso de serviços públicos de saúde) menos os impostos.

Veja também: Jovem branco tem 2 vezes mais chance de chegar à universidade

Uma das explicações para o abismo na renda é que brancos têm mais acesso à escola e ao ensino superior e, com isso, consegue cargos com salários mais altos.

Habitação é o que mais pesa no orçamento

Dentro da média da despesa familiar, a habitação é a que abocanha a maior parte dos custos, seguido por transporte e alimentação.

A disparidade por raça fica mais perceptível na habitação, em que brancos gastavam uma média de R$ 644, 31 e pretos e pardos, R$ 330,72.

A saúde e a alimentação reforçam o gargalo no recorte racial da pesquisa. As famílias chefiadas por brancos gastam, em média, R$ 183 para saúde e R$ 269,44 para comida. Na de pretos e pardos no comando, estes valores médios são de R$ 94,99 e R$ 181,60.