Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.528,97
    +456,35 (+0,95%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,61
    +0,17 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.783,70
    +5,30 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    55.507,93
    +484,86 (+0,88%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.274,87
    +40,45 (+3,28%)
     
  • S&P500

    4.134,94
    -28,32 (-0,68%)
     
  • DOW JONES

    33.821,30
    -256,33 (-0,75%)
     
  • FTSE

    6.859,87
    -140,21 (-2,00%)
     
  • HANG SENG

    28.599,28
    -536,45 (-1,84%)
     
  • NIKKEI

    28.512,48
    -587,90 (-2,02%)
     
  • NASDAQ

    13.733,75
    -60,50 (-0,44%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6883
    -0,0142 (-0,21%)
     

Renault, Toyota e VW Caminhões e Ônibus interrompem produção devido ao descontrole da pandemia

EDUARDO SODRÉ
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Renault, Toyota e VWCO (Volkswagen Caminhões e Ônibus) anunciaram nesta quinta (25) que irão interromper a produção devido ao agravamento da pandemia de Covid-19. Com os novos anúncios, já são oito o número de fabricantes que decidiram paralisar as linhas de montagem em um momento afetado pelo descontrole do contágio e por uma falta generalizada de componentes. Nissan, General Motors, Volkswagen, Mercedes e Scania foram as primeiras a confirmar as paralisações nas linhas de montagem. A Renault vai interromper as atividades na fábrica de São José dos Pinhais (PR) a partir de segunda-feira (29), e a retomada está prevista para 5 de abril. Os trabalhadores das áreas administrativas seguem em home office. As empresas não adotarão férias coletivas, mas, sim, sistemas de compensação futura dos dias não trabalhados. A fabricante de origem francesa diz que não há problema de falta de peças no momento. “A decisão tem como objetivo contribuir para o isolamento social neste momento em que diferentes cidades adotaram medidas mais restritivas, e em alinhamento com o Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba”, diz o comunicado divulgado pela marca. Nissan, General Motors, Volkswagen, Mercedes e Scania já haviam anunciado as paralisações nas linhas de montagem. A Toyota também afirma que tomou a decisão em conjunto com os sindicatos locais. A produção nas quatro fábricas –todas localizadas no estado de São Paulo– será suspensa a partir de segunda-feira (29) e retomada no dia 5 de abril em São Bernardo do Campo, Sorocaba e Porto Feliz. A unidade de Indaiatuba voltará no dia 6. de suspender sua produção a partir da próxima segunda-feira, dia 29 de março. Rafael Chang, presidente da Toyota do Brasil disse nesta quarta (24) que a empresa ainda não foi muito afetada pela falta de componentes. “A medida tem como objetivo contribuir com a redução de circulação de pessoas no momento mais crítico da pandemia no país, além de atender a antecipação de feriados por parte de autoridades em algumas dessas regiões”, diz a nota divulgada pela montadora de origem japonesa. Localizada em Resende (RJ), a fábrica da VW Caminhões e Ônibus terá as atividades paralisadas nesta segunda (29), com retorno no dia 5 de abril. “A empresa manterá os serviços de atendimento à sua rede de concessionários e de suporte aos clientes, garantindo os serviços necessários para a continuidade do transporte de cargas e de passageiros em todo o país”, diz a montadora, por meio de comunicado. Além da preocupação com os colaboradores, as paradas têm sido motivadas pela falta de peças e pela pressão dos sindicatos.​ NÚMERO DE FUNCIONÁRIOS AFETADOS PELAS PARALISAÇÕES NAS MONTADORAS Nissan: 850 Volkswagen: 15 mil Mercedes-Benz: 10 mil Scania: 4.000 Renault: 7.000 Toyota: 5.600 General Motors: não divulga