Mercado abrirá em 6 h 14 min

Renault quer lançar picape Alaskan em 2020 com produção na Argentina

feedback@motor1.com (Leo Fortunatti)
Renault Alaskan

Gerente da marca na Argentina afirmou que projeto "nunca foi cancelado, apenas adiado"

A crise na Argentina atrapalhou os planos da Renault e Mercedes-Benz para a fábrica de Santa Isabel, onde atualmente é produzida a Nissan Frontier e deveriam nascer também a Mercedes-Benz Classe X e Renault Alaskan, as trigêmeas da mesma base e projeto. Em 2019, a Renault decidiu adiar o lançamento, enquanto a Mercedes-Benz cancelou o projeto, até o momento, definitivamente. 

Renault Alaskan

A Renault Argentina tem um novo gerente de produtos, Juan Manuel Alliati, que já chegou se posicionando para a imprensa local: "O projeto da picape Alaskan está mais vivo do que nunca e vemos em 2020 uma oportunidade para lançá-la", disse Juan. Ele também deixou claro que o projeto nunca tinha sido cancelado, diferente da Mercedes-Benz Classe X. 

Veja também

Esse ânimo do gerente da marca veio com a isenção das picapes e comerciais leves isentos dos impostos internos. Ao mesmo tempo, sabe que o mercado para o campo, um dos principais de picapes, não está bom. "Estamos prontos para lançá-la amanhã mesmo", reforçou Alliati. A picape foi flagrada diversas vezes em testes tanto na Argentina quanto na própria fábrica ao lado da Nissan Frontier.

Para o Brasil, segue uma incógnita. Dividindo base, mecânica e diversos componente com a Nissan Frontier, já apareceu em duas edições diferentes do Salão do Automóvel, mas a Renault sempre disse que é apenas para demonstração. A picape média enfrentaria em nosso mercado Chevrolet S10, Toyota Hilux, Ford Ranger, Mitsubishi L200 Triton Sport e a própria Nissan. Notícias no país vizinho diziam que a marca francesa estudava a melhor forma de colocar o veículo no mercado sem correr o risco de canibalização com a Frontier.

Era esperado também o lançamento da Mercedes-Benz Classe X, mas esse projeto foi realmente cancelado após um desentendimento entre a Daimler e a Nissan. Isso fez com que a marca alemã desistisse completamente da picape no Brasil, que não virá nem mesmo importada da Espanha - e rumores dizem que ela não terá uma segunda geração.