Mercado abrirá em 7 h 57 min
  • BOVESPA

    120.933,78
    -180,15 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.072,62
    -654,36 (-1,34%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,00
    +0,62 (+0,98%)
     
  • OURO

    1.772,20
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    55.403,39
    -1.614,28 (-2,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.250,50
    -48,45 (-3,73%)
     
  • S&P500

    4.163,26
    -22,21 (-0,53%)
     
  • DOW JONES

    34.077,63
    -123,04 (-0,36%)
     
  • FTSE

    7.000,08
    -19,45 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.105,73
    -0,42 (-0,00%)
     
  • NIKKEI

    29.090,59
    -594,78 (-2,00%)
     
  • NASDAQ

    13.917,25
    +20,00 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6907
    +0,0150 (+0,22%)
     

Remédio da Vir e GSK reduz hospitalizações e mortes pela COVID-19 em 85%

Nathan Vieira
·1 minuto de leitura

Em meio à pandemia, várias empresas se dedicaram a buscar um método de proteger a população da COVID-19, seja com vacina ou medicamento. E é o caso das farmacêuticas Vir Biotechnology, dos Estados Unidos, e a GlaxoSmithKline (GSK), do Reino Unido, que desenvolveram um remédio com base em anticorpos chamado VIR-7831. Acontece que nesta quinta-feira (11), as companias anunciaram que o medicamento reduziu as hospitalizações e mortes pela doença em 85%.

Segundo a Dow Jones, a ideia das farmacêuticas é solicitar imediatamente a autorização aos órgãos reguladores de saúde (não apenas dos EUA, como outros países também). Caso o medicamento seja autorizado, passa a ser o quarto remédio com anticorpo disponível nos EUA. O medicamento em questão vem na esteira dos fabricados pela Eli Lilly e pela Regeneron Pharmaceuticals.

No entanto, de acordo com as farmacêuticas, um comitê de monitoramento independente recomendou a interrupção do estudo, considerando que uma análise feita com dados de 583 pessoas mostrou alta eficácia do medicamento. Por enquanto, os resultados detalhados do estudo ainda não vieram à tona, tampouco a porcentagem de pacientes que foram hospitalizados ou morreram.

(Imagem: freestocks.org/Pexels)
(Imagem: freestocks.org/Pexels)

Mas vale ressaltar que os voluntários do estudo ainda devem ser analisados por um período de 24 semanas. Além disso, mais dados serão divulgados após a conclusão do estudo, que avalia principalmente pacientes com sintomas leves ou moderados de COVID-19 com alto risco de desenvolver um quadro grave da doença.

O Valor Investe menciona que no pré-mercado dos Estados Unidos, as ações da Vir Biotechnology subiam 51,6%, para US$ 71, por volta de 9h, em contraste com os papéis da GSK, que caíam 0,8% em Londres, para 12,53 libras, no mesmo horário.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: