Mercado fechado

Remédio antimalária pode ser efetivo ou não para o coronavírus, diz Trump

Valor

No entanto, o presidente americano se disse otimista em relação à eficácia da hidroxicloroquina, apesar da cautela de especialistas Pressionado sobre o uso de um remédio antimalária no tratamento para o novo coronavírus, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a destacar a eficácia da hidroxicloroquina, apesar dos alertas dos especialistas do governo americano de que não há evidências de que o medicamento funcione contra a covid-19.

A polêmica começou na entrevista coletiva concedida na quinta (19) por Trump. O presidente chegou a afirmar que o uso da hidroxicloroquina para o coronavírus estava aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), mas foi desmentido pela própria agência na sequência. Estudos nos EUA estão em andamento após testes feitos na França terem apresentado “resultados promissores”.

“Eu estou otimista sobre isso [o uso do medicamento]. É só um sentimento. Eu sou um cara esperto, nós vamos ver em breve e certamente haverá muitas amostras para a população”, afirmou o mandatário americano, ao ser questionado sobre o medicamento, prometendo, mais uma vez, comprar grandes quantidades de hidroxicloroquina.

Na mesma entrevista coletiva, o diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, Anthony Fauci, afirmou que não há “remédio mágico” e que não existem evidências sobre a eficácia do medicamento contra o novo coronavírus.

Perguntado por um jornalista da emissora “NBC" se estava dando “falsa esperança” aos americanos, Trump se irritou e o atacou. “Que pergunta adorável. Pode funcionar, pode não funcionar. Essa pergunta envia um sinal muito ruim. Eu costumo estar certo, você deveria se envergonhar”, afirmou o presidente americano.