Mercado fechado
  • BOVESPA

    106.475,05
    +101,18 (+0,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.436,31
    -536,96 (-0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,20
    +1,38 (+1,65%)
     
  • OURO

    1.814,20
    -2,30 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    41.650,63
    -536,43 (-1,27%)
     
  • CMC Crypto 200

    991,62
    -17,77 (-1,76%)
     
  • S&P500

    4.588,14
    -74,71 (-1,60%)
     
  • DOW JONES

    35.418,03
    -493,78 (-1,37%)
     
  • FTSE

    7.563,55
    -47,68 (-0,63%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.275,25
    -320,50 (-2,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3064
    +0,0126 (+0,20%)
     

Relator não vai apresentar parecer para reforma do Imposto de Renda

·2 min de leitura

BRASÍLIA – Sem data para apresentar a nova proposta de reajuste da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), o senador Angelo Coronel (PSD-BA), relator do projeto de reforma do IR, não deve apresentar parecer para o texto que foi aprovado pela Câmara, o que sepultará as alterações nos tributos de empresas e a cobrança de dividendos.

— Não apresentarei relatório e devo apresentar projeto autônomo sobre nova tabela do IRPF – afirmou o senador ao GLOBO.

Ele explicou que o projeto do IRPF ainda não foi finalizado porque ele está calculando os reflexos da atualização da tabela do IR nas contas de estados e municípios. Ele estuda ampliar a faixa de isenção para R$ 3,3 mil – atualmente, o limite é de R$ 1,9 mil e a proposta do governo era de elevar essa faixa para R$ 2,5 mil.

Em relação ao PL 2337/21, que foi aprovado na Câmara dos Deputados, ele não apresentará relatório:

— Vou torcer para o governo apresenta um novo projeto ouvindo os contribuintes dos setores da indústria, comércio e serviços. Reforma deve ser para facilitar e não pra prejudicar.

O projeto aprovado na Câmara previa a diminuição das alíquotas do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido, além da taxação de dividendos em 15%. As medidas desagradam estados e municípios, que alegam perdas nos fundos de participação, além de resistência de alguns setores econômicos.

Coronel criticou o projeto nesta sexta-feira, em evento na Associação Comercial de São Paulo, onde recebeu um manifesto contrário à reforma do IR.

Na ocasião, ele já havia falado sobre a intenção de arquivar o projeto:

— Esse projeto será arquivado, tem que ser extinto e que se nasça um novo projeto, com mais base, com mais conteúdo, um projeto bem debatido – disse, acrescentando que foi um projeto feito no açodamento e que sacrifica o pagador de impostos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos