Mercado fechará em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    100.853,95
    +2.181,70 (+2,21%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.921,19
    +179,69 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,43
    +1,81 (+1,68%)
     
  • OURO

    1.826,00
    -4,30 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.717,67
    -548,82 (-2,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    451,12
    -10,68 (-2,31%)
     
  • S&P500

    3.923,31
    +11,57 (+0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.580,30
    +79,62 (+0,25%)
     
  • FTSE

    7.257,35
    +48,54 (+0,67%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.095,25
    -45,25 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5257
    -0,0267 (-0,48%)
     

Relatório de emprego nos EUA revela moderação amistosa ao Fed, mas contratações ainda fortes

Placa sinaliza feira de empregos em Nova York

Por Howard Schneider e Lindsay Dunsmuir

WASHINGTON (Reuters) - A abertura líquida de 390 mil postos de trabalho nos Estados Unidos em maio e o crescimento salarial ainda forte deixam o Federal Reserve no caminho para aumentos de 0,50 ponto percentual nas taxas de juros em junho e julho, já que a economia norte-americana continuou a mostrar poucas evidências de que está cedendo à pressão inflacionária e das crescentes taxas de juros.

No entanto, esse ritmo de crescimento do emprego está abaixo das 569 mil vagas adicionadas mensalmente de janeiro de 2021 a fevereiro deste ano, desaceleração que muitos economistas anteciparam --e que o Fed tem motivos para saudar--, dada a atual baixa taxa de desocupação, que permaneceu em 3,6% em maio.

Muitos economistas esperavam um freio ainda mais acentuado, à medida que empresas de tecnologia anunciaram demissões ou congelamentos de contratações em meio à queda nos preços das ações das empresas, e supondo que os consumidores começariam a reduzir gastos devido à alta inflação e ao aumento das contas de alimentos e energia.

"O crescimento da folha de pagamento entrou em uma marcha mais lenta nesta primavera (nos EUA), mas falar de uma recessão iminente não passa de alarmismo", escreveu Gregory Daco, economista-chefe da EY-Parthenon, observando que os Estados Unidos estão agora a menos de 1 milhão de empregos do pico atingido pouco antes do início da pandemia de coronavírus.

O ritmo anual de crescimento salarial desacelerou ligeiramente e a força de trabalho aumentou em 330 mil, ambos desenvolvimentos que os formuladores de política monetária do Fed esperam que continuem.

No contexto de uma inflação que roda três vezes acima da meta de 2% do Fed, no entanto, o combo de dados na melhor das hipóteses sinaliza moderação, num momento em que as autoridades do Fed dizem que provavelmente continuarão com uma série de aumentos de 0,50 ponto percentual nos juros até que haja evidências convincentes de que a dinâmica dos preços e dos salários está a abrandar.

O ritmo de crescimento anual do salário médio por hora já cai por três meses e passou de 5,6% em março para 5,2% em maio, mas a taxa de aumento ainda está acima da que as autoridades do Fed considerariam consistente com uma inflação de 2%, além de algum aumento adicional para contabilizar os ganhos de produtividade.

O relatório de empregos de maio é um dos últimos dados de alto perfil que as autoridades do Fed levarão para a próxima reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) em 14 e 15 de junho, ao fim da qual se espera novo aperto de 0,50 ponto. Na ausência de um grande choque, os formuladores de política monetária devem aprovar outro acréscimo de 0,50 ponto em julho.

Mas o relatório de emprego de maio, novas estatísticas sobre preços ao consumidor a serem divulgadas na próxima sexta-feira e outros dados econômicos futuros moldarão o debate sobre o que acontecerá a seguir.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos