Mercado abrirá em 4 h 35 min
  • BOVESPA

    106.419,53
    -2.295,02 (-2,11%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.206,59
    +372,79 (+0,72%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,68
    -0,97 (-1,15%)
     
  • OURO

    1.788,90
    -4,50 (-0,25%)
     
  • BTC-USD

    60.635,09
    -1.634,55 (-2,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.472,70
    -32,45 (-2,16%)
     
  • S&P500

    4.574,79
    +8,31 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    35.756,88
    +15,73 (+0,04%)
     
  • FTSE

    7.272,97
    -4,65 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    25.600,22
    -438,05 (-1,68%)
     
  • NIKKEI

    29.098,24
    -7,77 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.577,75
    +32,75 (+0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4602
    +0,0061 (+0,09%)
     

A reinvenção baseada em um presente e futuro incertos

·3 minuto de leitura

As discussões sobre formatos de trabalho ganham cada vez mais força com os avanços da vacinação contra a COVID-19 no país. Nesse momento, todos já discutem como será daqui em diante: o home office veio para ficar, ou o modelo híbrido deve ganhar força para grande parte dos setores? Ponto importante para todos, não refuto. Mas outra discussão que vale um olhar atento é o futuro dos serviços criados especialmente para suprir necessidades enquanto duraram as medidas de isolamento social.


Em meu primeiro artigo deste ano, trouxe algumas curiosidades a respeito das previsões de dados em períodos incertos. Sem dados confiáveis, é difícil obter o conhecimento necessário para tomar as decisões de negócios certas e desenhar caminhos possíveis para percorrer. Essa mesma reflexão vale para os testes de novos produtos pensados para atender os consumidores durante a pandemia, dar uma guinada nos negócios e não perder as cifras nos caixas. Mas esses produtos não necessariamente serão eficazes no mundo pós-pandêmico. Será?

As companhias já perceberam a necessidade de estar na vanguarda dessas tendências, fato que desencadeia uma forte pressão entre os colaboradores e líderes - que ficam entre os resultados positivos conquistados em 2020, mesmo em meio a diversas incertezas, e a análise do que será o futuro quando a pandemia acabar. Ou seja, é o momento de identificar quais inovações se destacarão no futuro próximo - e que podem ser completamente diferentes de tudo o que temos até hoje.

De acordo com pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), logo em março do ano passado, foi registrado que 89% dos pequenos negócios já enfrentavam queda no faturamento devido às medidas de isolamento no país. Muitos restaurantes tiveram que correr contra o relógio para implementar o sistema de entregas, movimento já em expansão pré-pandemia, mas que ganhou ainda mais tração com as medidas de isolamento social. Já e-commerces que não possuíam estratégias em mídias sociais, para gerar aproximação com seu público, tiveram que passar a olhar com mais carinho para isso - o que rendeu resultados consideráveis. Só em 2020, o crescimento do e-commerce fechou em 75%, segundo o E-Commerce Quality Index 2020.

Quem fez a adaptação mais rápida à nova realidade, entendendo a necessidade de reinvenção, se sobressaiu (Imagem: Envato / twenty20photos)
Quem fez a adaptação mais rápida à nova realidade, entendendo a necessidade de reinvenção, se sobressaiu (Imagem: Envato / twenty20photos)

Ou seja, quem fez a adaptação mais rápida à nova realidade, entendendo a necessidade de reinvenção mesmo em um momento nebuloso, se sobressaiu em sua área de atuação. Por aqui, lançamos o iFood Pedal, em parceria com a foodtech iFood e em menos de um ano, já é um case de sucesso que tem proporcionado grandes resultados na vida de entregadores e para a construção de cidades inteligentes e sustentáveis. Lançado em um momento em que todos dependiam mais do que nunca dos serviços de entrega, ainda havia problemas a serem resolvidos e o projeto nasceu com objetivo de unir soluções para todos os lados.

E não precisa ser gigante para inovar: um em cada quatro donos de pequenos negócios implementou alguma inovação desde o início da crise, de acordo com a 8ª Edição da Pesquisa “Impactos da Covid-19 nos pequenos negócios” realizada pelo Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas).

A tecnologia é viva e muda o tempo todo. As informações pré-pandemia e os diagnósticos de agora não serão os mesmos daqui um ano. O que vai fazer sentido? Como driblar essa situação? A receita do bolo ninguém ainda tem, mas é fundamental reconhecer o trabalho que está sendo traçado em muitas companhias, por aqui damos bastante foto para as pesquisas qualitativas, a interação direta com o usuário e os feedbacks coletados. Todos os testes que foram feitos já começam a dar indícios do que vem por aí. Inclusive já vemos um comportamento diferente com um percentual grande da população vacinada e esses dados trazem insights importantes para o que vai funcionar no futuro. Acredito que esse seja o momento mais crucial para análise dessas informações.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos