Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,32
    +0,75 (+0,68%)
     
  • OURO

    1.823,60
    -1,20 (-0,07%)
     
  • BTC-USD

    20.789,00
    -280,73 (-1,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    453,48
    -8,32 (-1,80%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    12.084,00
    +43,50 (+0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5281
    -0,0160 (-0,29%)
     

Reino Unido vai testar jornada de 4 dias de trabalho semanais

Para entender se a redução da jornada de trabalho pode impactar positivamente (ou não) a produtividade dos funcionários, empresas do Reino Unido participam de um experimento no qual a semana de trabalho será encurtada para apenas 4 dias. O projeto deve durar seis meses e envolve 70 companhias britânicas, somando 3 mil colaboradores.

O experimento sobre a semana de trabalho de 4 dias é liderado por pesquisadores da Universidade de Oxford e da Universidade de Cambridge, além do grupo Autonomy. Caso o projeto revele a mesma produtividade ou que ela aumente entre os colaboradores com o novo modelo, é possível que o mercado de trabalho passe por uma transformação.

Pesquisa no Reino Unido vai avaliar a eficácia da semana de trabalho com apenas 4 dias (Imagem: Halfpoint/Envato)
Pesquisa no Reino Unido vai avaliar a eficácia da semana de trabalho com apenas 4 dias (Imagem: Halfpoint/Envato)

Como vai funcionar o estudo?

Entre a lista de companhias participantes, é possível observar diferentes tipos de negócios que entraram no projeto. Por exemplo, empresas de desenvolvimento de software e de recrutamento ou ainda instituições de caridade. Curiosamente, um mercado de peixes e uma cervejaria também estão incluídos entre as 70 organizações.

A orientação é que todos os contratantes mantenham, pelos próximos seis meses, a remuneração integral do salário de seus funcionários. No entanto, cada trabalhador deverá cumprir uma jornada 80% menor que a atual.

Por que reduzir a semana de trabalho para 4 dias?

A hipótese que se busca comprovar com o experimento é de que, apesar da redução da jornada, é possível aumentar a produtividade de cada trabalhador. "Apontamos que não há correlação positiva entre produtividade e quantidade de horas trabalhadas por dia", explica o grupo Autonomy, em comunicado.

Através do projeto, a equipe ainda explica que "consideramos pesquisas sobre a importância do tempo de folga para nossa saúde mental e física e para nossa sensação de bem-estar em geral". Aqui, vale lembrar que a Organização Mundial da Saúde (OMS) incluiu a síndrome de Burnout como uma doença do trabalho em 2021. Inclusive, existe um CID específico para a condição (QD85).

"Estamos fazendo isso para melhorar a vida de nossa equipe e fazer parte de uma mudança progressiva no mundo, que melhorará a saúde mental e o bem-estar das pessoas", afirma Sam Smith, cofundador da empresa Pressure Drop Brewery — uma das organizações participantes da iniciativa —, para o canal BBC.

Mudança é controversa

Apesar do otimismo, o experimento é controverso. O economista Julian Jessop está "cético" com o projeto, já que "você [ou qualquer outro trabalhador] teria que se tornar 25% mais produtivo por dia".

Além disso, ele acrescenta que "existem alguns serviços onde uma semana de trabalho de quatro dias não é uma opção realista". Neste caso, Jessop cita o exemplo dos médicos que não poderiam reduzir a sua jornada, sem impactar o atendimento das pessoas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos