Mercado abrirá em 6 h 57 min
  • BOVESPA

    119.646,40
    -989,99 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.125,71
    -369,70 (-0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    53,28
    +0,04 (+0,08%)
     
  • OURO

    1.870,40
    +3,90 (+0,21%)
     
  • BTC-USD

    34.299,19
    -363,42 (-1,05%)
     
  • CMC Crypto 200

    678,30
    -22,31 (-3,18%)
     
  • S&P500

    3.851,85
    +52,94 (+1,39%)
     
  • DOW JONES

    31.188,38
    +257,86 (+0,83%)
     
  • FTSE

    6.740,39
    +27,44 (+0,41%)
     
  • HANG SENG

    30.012,19
    +369,91 (+1,25%)
     
  • NIKKEI

    28.781,14
    +147,68 (+0,52%)
     
  • NASDAQ

    13.382,25
    +88,00 (+0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4177
    -0,0809 (-1,24%)
     

Reino Unido põe Brexit à prova após festas de fim de ano

Nick McAVANEY
·4 minuto de leitura
O retorno das formalidades aduaneiras após o Brexit pode causar problemas a partir desta segunda

O Reino Unido coloca à prova as consequências do Brexit e de sua saída do mercado único europeu e da união aduaneira nesta segunda-feira (4), em particular nas fronteiras, onde milhares de caminhões devem cruzar o Canal da Mancha após um fim de semana tranquilo.

O país cortou totalmente seus laços com a União Europeia (UE) na quinta-feira à noite. Com o escasso tráfego em suas fronteiras durante as festas de fim de ano, não houve sinais dos tão temidos transtornos em seus portos, onde os funcionários das alfândegas começaram a implementar novos procedimentos após décadas de comércio aberto com seus sócios continentais.

Nesta segunda-feira, a situação parecia não mudar, apesar da travessia de uma quantidade maior de caminhões carregados com produtos de grande consumo que o país importa majoritariamente, em particular, pelo porto de Dover no sudeste da Inglaterra, o mais movimentado da Europa.

Um correspondente da AFP no terminal de balsas, que em 2019 recebeu 2,4 milhões de caminhões pesados, constatou que não havia atrasos visíveis.

De acordo com um porta-voz da empresa de balsas DFDS - que opera as balsas de Dover ao porto francês de Calais -, o número de veículos nos primeiros dias de 2021 foi reduzido para mais da metade em relação ao mesmo período de 2020.

"Como esperavamos, o tráfego foi muito menor que no ano passado", confirmou à BBC Chris Parker, responsável pela empresa, acrescentando que um novo aumento é esperado "nas próximas uma ou duas semanas".

Segundo números oficiais do porto, 2.237 veículos pesados passaram por Dover na sexta-feira, 673 no sábado e 914 no domingo.

"O tráfego continua fluindo sem problemas pelo porto desde o fim do período de transição do Brexit, em 31 de janeiro", afirmou um porta-voz.

Ainda resta saber se os preparativos feitos pelas autoridades britânicas serão suficientes para lidar com a situação quando as cargas retornarem aos níveis normais.

- Novos procedimentos administrativos -

O sucesso desta operação é fundamental pra o primeiro-ministro Boris Johnson, muito criticado por sua gestão da pandemia de coronavírus que já matou mais de 75.000 pessoas no país, e pela ameaça que o Brexit representa para a unidade sob a pressão dos separatistas escoceses.

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, pressiona o governo britânico a lhe conceder o direito de realizar um novo referendo de independência. Em caso de vitória, Sturgeon prometeu que a Escócia, que havia votado 62% contra o Brexit em 2016, entraria na União Europeia.

O acordo comercial assinado na noite de Natal entre Londres e a UE, uma semana antes do fim do período de transição pós-Brexit, evitou tarifas e cotas em seu comércio bilateral, que ameaçavam com caóticas consequências para uma economia britânica já muito afetada pela pandemia.

Agora, para circular no condado de Kent, os caminhoneiros que se dirigem para a Europa agora precisam de uma autorização, emitida eletronicamente, mostrando que eles preencheram a papelada necessária com antecedência. Quem não estiver o documento, está sujeito a multas de até 300 libras (334 euros, ou 410 dólares).

O governo se preocupa com que os caminhoneiros viajem para Dover sem essa autorização, o que pode causar atrasos e bloqueios no porto e em seus arredores.

Londres acredita que a maioria das grandes companhias está preparada para as novas regras, mas é possível que cerca de metade das pequenas e médias empresas ainda não tenha dado os passos necessários para exportar para a Europa.

Para evitar congestionamentos, o governo instalou enormes estacionamentos e autorizou a entrada na região de Kent.

Os novos trâmites aduaneiros se somam à obrigação dos caminhoneiros de apresentarem um teste de covid-19 negativo 72 horas antes de cruzarem o Canal da Mancha. Esta foi uma medida imposta pela França para evitar casos de contágio importados da nova cepa de coronavírus, muito mais contagiosa, detectada na Inglaterra.

O Departamento de transporte do Reino Unido anunciou, no sábado, que 20 novos pontos de teste seriam estabelecidos no país no fim de semana, seguidos por outros ao longo desta semana.

O objetivo é evitar que se repitam as cenas caóticas do Natal. Milhares de caminhões foram bloqueados no Reino Unido nessa data, depois que a França fechou suas fronteiras.

pau/fb/ybl/pc/me/tt/aa