Mercado fechará em 2 h 36 min

Reino Unido estaria comprando carne de fornecedores envolvidos com desmatamento

Cerrado abriga aproximadamente 12.000 espécies de plantas, além de 850 espécies de aves (Getty Creative)
Cerrado abriga aproximadamente 12.000 espécies de plantas, além de 850 espécies de aves (Getty Creative)
  • Fornecedores de carne que vendem para os principais comerciantes de soja desmataram pelo menos 27.000 hectares em 10 fazendas na região do Cerrado do Brasil

  • Pesquisa mostra que mais de 15.000 hectares foram desmatados após a data limite de 2020 somente em uma parte da Bahia

  • Cerrado abriga aproximadamente 12.000 espécies de plantas, além de 850 espécies de aves

Um estudo realizado pela Mighty Earth sugere que supermercados do Reino Unido ainda podem estar comprando carne de fornecedores envolvidos com o desmatamento no Brasil.

Segundo o relatório, fornecedores que vendem para os principais comerciantes de soja desmataram pelo menos 27.000 hectares (67.000 acres) em 10 fazendas na região do Cerrado do Brasil desde agosto de 2020.

Supermercados e varejistas foram solicitados a encerrar relacionamentos com comerciantes de soja que supostamente continuam comprando de fornecedores que contribuem para o desmatamento no Brasil. O relatório dizia: “Os supermercados devem estabelecer sistemas de monitoramento e rastreabilidade de soja eficazes, totalmente transparentes e entre ecossistemas para o Cerrado, Brasil e além".

Ativistas da Mighty Earth também escreveram para os supermercados pedindo que exigissem que os fornecedores de carne “trabalhem com a meta de vender pelo menos 20% de proteínas alternativas ou à base de plantas” até 2030.

O Cerrado brasileiro é conhecido por sua biodiversidade de plantas e animais e foi descrito como a “savana biologicamente mais rica do mundo” pelo World Wide Fund for Nature. Abriga aproximadamente 12.000 espécies de plantas, além de 850 espécies de aves – 30 das quais são endêmicas da região.

Dados alarmantes

A escala de destruição no Cerrado é vasta, diz o relatório. O caso mais grave de desmatamento teria ocorrido no Condomínio Agrícola Estrondo, na Bahia. A pesquisa mostra que mais de 15.000 hectares foram desmatados após a data limite de 2020. Uma outra empresa de soja supostamente desmatou mais de 1.180 hectares de vegetação em apenas um mês.

O relatório completou: “Depois de anos de esforços fracassados ​​para estimular as empresas de soja a romper os laços com fornecedores envolvidos no desmatamento, chegou a hora dos grandes supermercados cumprirem suas promessas e implantarem consequências comerciais significativas para o não cumprimento de suas obrigações".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos