Mercado fechado

Reino Unido deixa de contabilizar casos de Covid devido a erro em planilha; números aumentaram até 90% em algumas regiões

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
FILE - In this file photo dated Friday, July 31, 2020, people wearing face masks have their temperatures checked before being allowed to go into Manchester Central Mosque, as Muslims worldwide marked the start of the Eid al-Adha holiday, in Manchester, northern England. The British government insists that science is guiding its decisions as the country navigates its way through the coronavirus pandemic. But a self-appointed  group of independent experts led by a former government chief adviser says it sees little evidence-based about Britain’s response. Unlike other countries, the scientific opposition to Britain’s approach is remarkably organized. The independent group sits almost in parallel to the government’s own scientists, assesses the same outbreak indicators and has put out detailed reports on issues such contact tracing, reopening schools and pubs, and relaxing social distancing(AP Photo/Jon Super, File)
Nesta foto de julho deste ano, pessoas usando máscaras têm suas temperaturas verificadas antes de serem autorizadas a entrar na Mesquita Central de Manchester (Foto: AP Photo/Jon Super, File)

O Reino Unido deixou de contabilizar 15.841 novos casos de coronavírus devido a um erro em uma palhinha que reunia as informações dos infectados. De acordo com o Departamento de Saúde Pública da Inglaterra, a pasta teria atingido o limite de dados e parado de atualizar os novos números inseridos no sistema.

De acordo com o jornal BBC, o departamento informou que os mais de 15 mil novos casos da doença que não foram incluídos nas estatísticas ocorreram entre os dias 25 de setembro e 2 de outubro.

Além da subnotificação no número de novos infectados pela Covid-19, especialistas apontam que a falha causa um grande problema com as informações relacionadas a estes casos, como o rastreamentos de contatos e a região onde estão localizados, que são fundamentais para entender o caminho do vírus e evitar a disseminação da doença.

Cidades como Liverpool e Manchester, por exemplo, já apresentam uma das maiores taxas de infecção do país, cerca de 10 vezes a média nacional. Segundo a BBC, o número de casos relatados na semana até 1º de outubro aumentou 92,6% no noroeste depois de fazer testes em massa. O aumento deve-se principalmente à falta de testes, mas os números também incluíam alguns resultados que voltaram depois de 2 de outubro.

A notícia da falha na contagem diária surgiu pela primeira vez na noite de sábado (3), quando o Reino Unido anunciou mais de 10.000 novos casos de coronavírus pela primeira vez desde o início dos testes em massa.

Leia também

Apesar da falha, o governo britânico explicou que o problema já foi resolvido e os casos foram incluídos junto aos outros números no último sábado (03). No entanto, Therese Coffey, secretária de Trabalho e Pensões, disse nesta segunda-feira (5) que mais britânicos podem ter sido infectados e não terem sido avisados devido ao erro na planilha.

O primeiro-ministro Boris Johnson explicou que, apesar do erro, todas as pessoas que tiveram o resultado positivo para a doença foram informadas e os rastreadores da doença no país "agora estão trabalhando em todos os contatos".

O Reino Unido enfrenta uma segunda onda de contágio da doença causada pelo coronavírus. Segundo a contagem oficial da Universidade Johns Hopkins, o Reino Unido já possui 505.619 casos oficiais e 42.440 mortes em decorrência da doença.