Mercado fechará em 5 h 8 min
  • BOVESPA

    120.697,08
    +635,09 (+0,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.970,05
    +102,43 (+0,21%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,23
    -0,12 (-0,20%)
     
  • OURO

    1.787,70
    -5,40 (-0,30%)
     
  • BTC-USD

    54.760,87
    -745,32 (-1,34%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.282,63
    +39,58 (+3,18%)
     
  • S&P500

    4.171,28
    -2,14 (-0,05%)
     
  • DOW JONES

    34.040,18
    -97,13 (-0,28%)
     
  • FTSE

    6.928,83
    +33,54 (+0,49%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.926,75
    +7,50 (+0,05%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5963
    -0,1057 (-1,58%)
     

Reino Unido defende instalação urgente de atualizações da Microsoft após invasão do Exchange

·1 minuto de leitura
Logo da Microsoft é visto em prédio em Nova York

LONDRES (Reuters) - O órgão de segurança digital do Reino Unido defendeu nesta sexta-feira que organizações instalem as últimas atualizações de software da Microsoft em regime de urgência, depois de um ataque hacker que comprometeu o sistema de email fornecido pela companhia.

"Estamos trabalhando de perto com parceiros da indústria e internacionais para entender a escala e o impacto, mas é vital que todas as organizações protejam de imediato suas redes", disse Paul Chichester, diretor de operações do Centro Nacional de Cibersegurança (NCSC) do Reino Unido. "A ação mais importante é instalar as últimas atualizações da Microsoft."

Alertas semelhantes ao emitido pelo NCSC foram feitos nos Estados Unidos e na Europa, envolvendo o sistema de email Exchange, da Microsoft.

O número de servidores potencialmente vulneráveis no Reino Unido é de cerca de 7 mil a 8 mil, afirmou o NCSC, dos quais cerca de metade foram atualizados para as correções mais recentes da Microsoft.

A atualização, liberada pela Microsoft no início do mês, repara a vulnerabilidade, mas não resolve o problema criado por qualquer malware que já tenha sido instalado.

(Por Paul Sandle)