Mercado fechado
  • BOVESPA

    129.259,49
    -831,51 (-0,64%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.579,10
    -329,10 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,52
    -0,63 (-0,87%)
     
  • OURO

    1.823,60
    -37,80 (-2,03%)
     
  • BTC-USD

    38.786,86
    -1.286,95 (-3,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    964,48
    -27,99 (-2,82%)
     
  • S&P500

    4.223,70
    -22,89 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.033,67
    -265,63 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.184,95
    +12,47 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    28.413,69
    -23,15 (-0,08%)
     
  • NIKKEI

    28.908,59
    -382,42 (-1,31%)
     
  • NASDAQ

    13.903,50
    -77,75 (-0,56%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0661
    +0,0041 (+0,07%)
     

Reino Unido começa testes para terceira dose da vacina da COVID na população

·2 minuto de leitura

No Reino Unido, milhares de voluntários devem participar do maior estudo sobre a eficácia de uma terceira dose de vacinas contra o coronavírus SARS-CoV-2, o Cov-Boost. A ideia do reforço da imunização contra a COVID-19 é que ele possa ampliar a proteção contra as novas variantes e, consequentemente, diminua o número de hospitalizações do sistema de saúde local.

No total, o estudo deve englobar cerca de 2,8 mil pessoas totalmente vacinadas do Reino Unido, ou seja, poderão participar aquelas pessoas que já receberam a segunda dose das fórmulas da Pfizer/BioNTech ou da Oxford/AstraZeneca. Agora, a terceira aplicação não necessariamente precisará ser igual as outras duas e ainda pode ser um placebo, no caso do participante ser do grupo controle.

Reino Unido deve começar estudo com população para avaliar terceira dose de vacina contra a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)
Reino Unido deve começar estudo com população para avaliar terceira dose de vacina contra a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato)

Para as pessoas que receberão uma terceira dose de vacina contra a COVID-19, o reforço poderá ser de um dos 7 imunizantes selecionados para o estudo. São eles: Oxford/AstraZeneca; Pfizer/BioNTech; Moderna; Janssen; Novavax; Valneva; e CureVax. Após a aplicação, os voluntários serão testados para a avaliação dos níveis de anticorpos e o potencial aumento da imunidade (ou não). Além disso, os eventuais efeitos colaterais também devem ser monitorados.

Terceira dose é uma medida para ampliar o efeito das vacinas da COVID

O novo estudo irá investigar o nível de proteção desencadeado por uma terceira dose da vacina. Depois, esses resultados — que devem ser divulgados até o final de agosto — serão usados ​​pelo Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização (JCVI) do país para traçar novas políticas públicas de proteção contra a COVID-19.

Por exemplo, é possível que seja iniciada uma nova campanha de imunização com o reforço em todo o país, caso o resultado seja positivo. E como diferentes fórmulas serão testadas, as autoridades poderão escolher a que demonstrar melhor resposta nas análises.

Vale ressaltar, no entanto, que o estudo não é uma prova de que os níveis de anticorpos estão diminuindo ou que as vacinas não protegem contra as novas variantes do coronavírus, escalarem os pesquisadores responsáveis.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos