Mercado fechará em 4 h 47 min
  • BOVESPA

    101.315,72
    +552,12 (+0,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.511,84
    +217,01 (+0,45%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,42
    +0,85 (+0,78%)
     
  • OURO

    1.821,60
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    20.789,74
    +46,04 (+0,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    453,42
    +3,35 (+0,75%)
     
  • S&P500

    3.899,20
    -0,91 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    31.519,01
    +80,75 (+0,26%)
     
  • FTSE

    7.336,42
    +78,10 (+1,08%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    11.974,50
    -66,00 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4932
    -0,0509 (-0,92%)
     

Reino Unido busca reavivar IPOs de Londres com novas regras

(Bloomberg) -- O Reino Unido redobra seus esforços para aumentar a atividade de ofertas públicas de ações após as listagens em Londres caírem para níveis não vistos desde a crise financeira global.

O regulador do mercado britânico semana passada sugeriu acabar com a distinção entre listagens premium e padrão, para criar uma categoria única para empresas que buscam abrir capital em Londres. É o último movimento em um campanha maior no ano passado para atrair mais startups e impulsionar a posição da capital britânica em um mundo pós-Brexit.

Até agora, as mudanças de regras propostas, como permitir que os fundadores mantenham o controle das empresas após a listagem, pouco fizeram para aumentar a atividade, enquanto as ações de alto crescimento que o Reino Unido procura atrair saíram de moda este ano em meio ao aumento de juros.

O mercado de IPOs de Londres está a caminho do pior primeiro semestre desde 2009, com apenas 604 milhões de libras (US$ 764 milhões) arrecadados em 2022, segundo dados compilados pela Bloomberg.

“Simplificar o processo e reduzir parte do custo provavelmente será música para os ouvidos das empresas que consideram uma listagem em Londres”, disse Robin Walker, especialista em IPO do Equiniti Group, observando que a cidade enfrenta concorrência não apenas dos EUA, mas também de mercados como Amsterdã e Estocolmo.

Londres vem perdendo terreno gradualmente para as bolsas europeias após o Brexit, com Holanda e Suécia estreitando a lacuna de listagens nos últimos dois anos. Uma sequência de recentes fracassos como a Deliveroo e THG, que caíram mais de 70% desde seus IPOs, jogou água fria no apetite dos investidores no Reino Unido.

Um número crescente de empresas britânicas abandona listagens em casa para abrir capital nos EUA, atraídas pela promessa de valorizações mais altas e um pool de capital mais profundo. As empresas de cheque em branco dos EUA se tornaram um veículo popular para startups do Reino Unido, como o aplicativo de assistência médica Babylon Holdings e plataforma de venda de carros online Cazo.

As mudanças propostas podem abrir caminho para a inclusão em índice de empresas de tecnologia com direitos de voto desiguais, mas não há garantia de que a simplificação das regras removerá esse obstáculo. Tal como está, apenas as ações negociadas no segmento premium, sujeitas aos mais rigorosos requisitos de governança e divulgação, são elegíveis para serem incluídas nos índices FTSE Russell e se beneficiarem de fluxos de investimento passivos.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos