Mercado abrirá em 9 h 37 min
  • BOVESPA

    116.464,06
    -915,94 (-0,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.053,56
    -72,94 (-0,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,74
    +0,13 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.844,00
    -6,90 (-0,37%)
     
  • BTC-USD

    32.236,41
    -112,84 (-0,35%)
     
  • CMC Crypto 200

    649,67
    +2,35 (+0,36%)
     
  • S&P500

    3.849,62
    -5,74 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    30.937,04
    -22,96 (-0,07%)
     
  • FTSE

    6.654,01
    +15,16 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    29.302,76
    -88,50 (-0,30%)
     
  • NIKKEI

    28.588,55
    +42,35 (+0,15%)
     
  • NASDAQ

    13.542,75
    +57,25 (+0,42%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5107
    -0,0001 (-0,00%)
     

Reino Unido autoriza reuniões familiares no Natal com restrições

·1 minuto de leitura
Vista da cidade de Londres em 24 de novembro de 2020

As autoridades britânicas decidiram nesta terça-feira (24) diminuir, por alguns dias no Natal, as restrições para combater a pandemia e permitir reuniões familiares.

Os membros de três famílias poderão se reunir por no máximo cinco dias, de 23 a 27 de dezembro, e as famílias poderão se deslocar dentro do país, indicou o governo após encontro entre os líderes das quatro nações que compõem o Estado (Escócia, País de Gales, Irlanda do Norte e Inglaterra).

As restrições variam no Reino Unido, mas na maioria dos casos, os membros de duas famílias diferentes não têm o direito de se reunir em ambientes fechados. E em toda a Inglaterra, os encontros se limitam a seis pessoas.

Este abrandamento das medidas servirá para que "as pessoas que amamos possam estar ao nosso lado neste período especial, mas apenas por tempo limitado", declarou o ministro responsável pela coordenação da ação governamental, Michael Gove.

Cerca de 56.000 pessoas morreram do novo coronavírus no Reino Unido, o maior número em toda a Europa.

Mais de 600 pessoas morreram nesta terça-feira, um recorde desde maio.

Mais de 1,5 milhão de casos foram detectados no país.

O governo espera que a normalidade volte até a semana da Páscoa, graças às vacinas, incluindo o projeto britânico AstraZeneca/Oxford.

No Reino Unido, cada província britânica decide sua própria estratégia de combate ao vírus, mas com a proximidade das festas, os líderes decidiram adotar uma política comum.

jit-pau/gmo/jz/mb/jc/mvv