Mercado fechará em 1 h 47 min
  • BOVESPA

    106.941,52
    +567,66 (+0,53%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.473,41
    -499,86 (-0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,21
    +1,39 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.813,20
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    41.591,30
    -619,73 (-1,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,30
    -17,08 (-1,69%)
     
  • S&P500

    4.585,67
    -77,18 (-1,66%)
     
  • DOW JONES

    35.353,12
    -558,69 (-1,56%)
     
  • FTSE

    7.563,55
    -47,68 (-0,63%)
     
  • HANG SENG

    24.112,78
    -105,25 (-0,43%)
     
  • NIKKEI

    28.257,25
    -76,27 (-0,27%)
     
  • NASDAQ

    15.310,00
    -285,75 (-1,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2890
    -0,0048 (-0,08%)
     

Reguladores de mercado investigam nova rede social de Trump

·3 min de leitura
ATLANTA, GEORGIA - OCTOBER 30:  Former president of the United States Donald Trump waves prior to Game Four of the World Series between the Houston Astros and the Atlanta Braves Truist Park on October 30, 2021 in Atlanta, Georgia. (Photo by Michael Zarrilli/Getty Images)
Reguladores estudam acordo para colocar nova rede social de Trump na Bolsa de Valores. (Photo by Michael Zarrilli/Getty Images)
  • Reguladores estudam acordo para colocar nova rede social de Trump na Bolsa de Valores;

  • Nova rede social prevê 81 milhões de usuários até 2026 e gerar US$ 3,7 bi (R$ 21 bi);

  • Questões regulatórias da nova rede social de Trump concentram-se em fusão;

Reguladores estudam um acordo que traria a nova empresa de mídia social de Donald Trump ao mercado de ações, que já atraiu legiões de fãs do ex-presidente e pessoas que buscam obter lucros rápidos. De acordo com relatório divulgado junto aos reguladores de valores mobiliários da empresa que tentam levá-la a Bolsa, a rede social de Trump prevê que poderá ter 81 milhões de usuários até 2026, com quase 7 milhões a mais do que votaram nele na última eleição presidencial dos EUA, de acordo com a Associated Press.

Leia também:

A parceria da nova empresa com a Trump Media & Technology Group reconheceu as investigações em um documento que apresentou aos reguladores na segunda-feira. O documento também deu algumas previsões financeiras para a empresa, que espera rivalizar com o Twitter e outras plataformas que baniram Donald Trump recentemente, além da Netflix e de outros serviços de streaming de vídeo, segundo a Associated Press.

Questões regulatórias da rede social de Trump concentram-se em fusão

De acordo com a Associated Press, as questões regulatórias se concentram no anúncio de outubro pela empresa de mídia de Trump de que se fundiria com a Digital World Acquisition Corp, muitas vezes referida pelo seu símbolo comercial de "DWAC". Essa empresa havia se lançado no mercado de ações dos EUA três semanas antes com o único objetivo de encontrar uma empresa privada para comprar. 

A Comissão de Valores Mobiliários (SEC) norte-americana solicitou no início do mês passado documentos relacionados às reuniões do conselho da DWAC, políticas comerciais e comunicações entre a DWAC e a empresa de mídia de Trump, entre outras coisas. De acordo com a DWAC, a solicitação da SEC disse que a "investigação da comissão não significa que a comissão concluiu que alguém violou a lei ou que tem uma opinião negativa sobre a DWAC ou qualquer pessoa, evento ou segurança", completou a empresa.

A SEC pode estar investigando se a DWAC e a empresa de Trump tiveram conversas sobre um acordo antes da própria oferta pública inicial de ações da empresa, segundo disse à AP Jay Ritter, professor da Universidade da Flórida. A DWAC tem cerca de US$ 293 milhões em dinheiro levantados por meio de sua oferta pública inicial (IPO). De acordo com as regras para essas empresas de cheque em branco, conhecidas como empresas de aquisição de propósito específico, ou SPACs, elas não devem alinhar alvos de aquisição antes de vender suas próprias ações.

O anúncio da fusão fez com que as ações da DWAC subissem de US$ 9,96 para US$ 94,20 em apenas dois dias, e atualmente estão em US$ 43. Um preço tão alto indica altas expectativas para o empreendimento de mídia de Trump entre pelo menos alguns investidores. Em seu processo junto aos reguladores, a DWAC também deu algumas previsões financeiras para a empresa, que ainda não foi lançada.

A apresentação incluiu previsões de que o serviço Truth Social da empresa pode ter 81 milhões de usuários até 2026, ou quase 7 milhões de pessoas a mais do que votaram em Trump na última eleição presidencial dos Estados Unidos. Em cinco anos, a previsão é que a Trump Media gere quase US$ 3,7 bilhões (cerca de R$ 21 bi) em receita, de acordo com o documento. De acordo com a AP, isso é maior do que a receita anual de possíveis concorrentes, como a gigante do entretenimento iHeart Media, que possui mais de 800 estações de rádio no país.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos