Mercado fechará em 4 h 41 min
  • BOVESPA

    108.907,05
    -69,66 (-0,06%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,36 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,28
    -2,00 (-2,62%)
     
  • OURO

    1.749,90
    -4,10 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    16.186,40
    -364,17 (-2,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    379,51
    -3,15 (-0,82%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,93 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.455,06
    -31,61 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    17.297,94
    -275,64 (-1,57%)
     
  • NIKKEI

    28.162,83
    -120,20 (-0,42%)
     
  • NASDAQ

    11.702,75
    -80,00 (-0,68%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6379
    +0,0135 (+0,24%)
     

Reguladores americanos solicitam a Citigroup correção do plano de simulação de quebra

As autoridades de supervisão bancária (FDIC) e o Federal Reserve (Fed) dos Estados Unidos anunciaram, nesta quarta-feira (23), que pediram ao Citigroup que melhore seu plano de simulação de falência, por apresentar "fragilidades".

Sob a lei Dodd-Frank adotada após a crise financeira de 2008, o Fed (Banco Central americano) e a FDIC devem avaliar, periodicamente, os cenários de falência das oito maiores instituições bancárias, cuja quebra pode ameaçar o sistema financeiro americano.

Os outros sete bancos examinados são Bank of America, Bank of New York Mellon, Goldman Sachs, JPMorgan Chase, Morgan Stanley, State Street e Wells Fargo.

O Fed e a FDIC detectaram no Citigroup "graves fragilidades nas práticas de gestão de dados do banco" em seu plano apresentado para 2021.

Essas deficiências podem impedi-lo de "produzir dados precisos e em tempo real", o que poderia minar seu plano de resolução, diz uma carta dos reguladores ao Citigroup.

Essas são "fragilidades que levantam dúvidas sobre a viabilidade do plano e podem levar a requisitos adicionais, se não forem corrigidas [...]", disse o Fed em comunicado.

No ano anterior, o Citigroup já havia sido incluído na lista negativa, junto com outras instituições bancárias, por seu cenário de falência e havia corrigido as deficiências.

Em uma nota divulgada nesta quarta, o banco reconheceu que "ainda tem trabalho a fazer" e anunciou sua intenção de aproveitar os investimentos anteriores em seu sistema de gestão de dados para "abordar essas deficiências".

O Citigroup deve apresentar essas correções, e os demais bancos, seus cenários finais, até 31 de janeiro de 2023.

vmt/els/spi/yow/db/tt/rpr