Mercado abrirá em 3 h 18 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,55
    -0,22 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.854,30
    -0,90 (-0,05%)
     
  • BTC-USD

    31.894,56
    -473,73 (-1,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    643,91
    -32,99 (-4,87%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.665,73
    +26,88 (+0,40%)
     
  • HANG SENG

    29.391,26
    -767,75 (-2,55%)
     
  • NIKKEI

    28.546,18
    -276,11 (-0,96%)
     
  • NASDAQ

    13.421,00
    -54,50 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6920
    +0,0558 (+0,84%)
     

Regulador europeu diz ainda não ter tomado decisão sobre vacina da Moderna

·1 minuto de leitura
Logotipo da empresa Moderna, em Massachusetts

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) anunciou que não se pronunciará na noite desta segunda-feira (4) sobre a autorização à vacina da Moderna contra o novo coronavírus e suas discussões serão retomadas mais tarde esta semana.

"As discussões da EMA sobre a vacina da Moderna contra a covid-19 não serão concluídas esta noite. Vão continuar na quarta-feira", indicou em um comunicado o regulador europeu, com sede em Amsterdã.

Sob pressão dos países europeus para autorizar a vacina da americana Moderna desde que fosse possível, o EMA havia estabelecido a data de 12 de janeiro.

Mas depois a alterou várias vezes, dando a entender, inclusive, que a reunião do Comitê de Medicamentos para uso Humano (CHMP) podia tomar uma decisão ainda nesta segunda, o que acabou não acontecendo.

"Não haverá nova informação da EMA" na noite desta segunda, acrescentou o organismo.

A EMA autorizou em 21 de dezembro a vacina contra a covid-19 da Pfizer/BioNTech, que a Comissão Europeia autorizou e é a única vigente na Europa. Agora, deve se pronunciar sobre a da Moderna.

O imunizante é aplicado em duas doses, com algumas semanas de intervalo, como a vacina dos laboratórios americano Pfizer e alemão BioNTech. 

Mas a fórmula da Moderna lhe permite ser conservada a -20°C e não a -70°C como a da Pfizer, o que obrigou o grupo a criar recipientes específicos para seu transporte.

A Agência Americana de Medicamentos e Alimentos (FDA) anunciou em 18 de dezembro que deu uma autorização de urgência ao laboratório americano que fabrica a vacina da Moderna, uma semana depois de autorizar a da Pfizer/BioNTech.

dk/spm/hba/cls/mar/age/mvv