Mercado fechará em 6 h 23 min
  • BOVESPA

    110.140,64
    -1.932,91 (-1,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.874,91
    -1.144,00 (-2,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,69
    -0,19 (-0,25%)
     
  • OURO

    1.929,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    23.526,88
    -296,08 (-1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    537,23
    -8,09 (-1,48%)
     
  • S&P500

    4.179,76
    +60,55 (+1,47%)
     
  • DOW JONES

    34.053,94
    -39,02 (-0,11%)
     
  • FTSE

    7.838,23
    +18,07 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,41 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.685,50
    -161,25 (-1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5488
    +0,0591 (+1,08%)
     

Regulador das Bahamas mantém ativos FTX pendentes de entrega a clientes e credores

(Reuters) - A comissão de valores mobiliários das Bahamas disse na quinta-feira que está mantendo ativos da FTX no valor de 3,5 bilhões de dólares com base nos preços de mercado no momento da transferência em caráter temporário para entregá-los aos clientes e credores que os possuem.

Os ativos digitais da unidade da FTX nas Bahamas foram transferidos para carteiras digitais sob o controle exclusivo da comissão em novembro, logo depois que a empresa e seu hedge fund Alameda Research e dezenas de afiliadas entraram com pedido de proteção contra falência nos Estados Unidos.

Após a conclusão da transferência, os fundadores da FTX, Sam Bankman-Fried e Gary Wang, não tiveram mais acesso aos tokens que foram transferidos ou congelados, disse a diretora executiva da comissão, Christina Rolle, em depoimento enviado à Suprema Corte das Bahamas.

"Todos os ativos transferidos estavam e permanecem sob o controle exclusivo da comissão", disse Rolle.

Advogados da exchange cripto FTX no início deste mês se opuseram a uma demanda por registros internos de seus negócios nas Bahamas, dizendo que "não confiam" no governo das Bahamas com dados que poderiam ser usados para desviar ativos da empresa.

As autoridades das Bahamas, onde a empresa tinha sua sede, nomearam liquidatários para encerrar os negócios de comércio internacional da FTX logo após o anúncio da falência da empresa.

(Reportagem de Urvi Dugar e Akanksha Khushi em Bengaluru)