Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.575,47
    +348,38 (+0,32%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    41.674,30
    -738,17 (-1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,53
    -0,18 (-0,39%)
     
  • OURO

    1.788,10
    -23,10 (-1,28%)
     
  • BTC-USD

    18.106,17
    +338,11 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    333,27
    -4,23 (-1,25%)
     
  • S&P500

    3.638,35
    +8,70 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    29.910,37
    +37,90 (+0,13%)
     
  • FTSE

    6.367,58
    +4,65 (+0,07%)
     
  • HANG SENG

    26.894,68
    +75,23 (+0,28%)
     
  • NIKKEI

    26.644,71
    +107,40 (+0,40%)
     
  • NASDAQ

    12.257,50
    +105,25 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3746
    +0,0347 (+0,55%)
     

Regulador britânico vai permitir negociações na UE no pós-Brexit

Silla Brush
·1 minuto de leitura

(Bloomberg) -- A Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido permitirá que participantes do mercado britânico continuem negociando todas as ações em bolsas com sede na União Europeia por enquanto, mesmo se um acordo de equivalência mútua não for alcançado nas negociações do Brexit.

A agência reguladora britânica disse em comunicado na quarta-feira que vai recorrer a poderes temporários para evitar problemas nos mercados acionários. As disposições transitórias devem vigorar até 31 de março de 2022.

A abordagem contrasta com diretriz recente de reguladores da UE, que só concordaram em permitir que investidores do bloco comprem e vendam ações europeias nas bolsas do Reino Unido se a negociação ocorrer em libras esterlinas, um caso específico que equivale a menos de 1% da atividade de negociação da UE. Essa restrição continuará, a menos que as autoridades europeias declarem que as regras do Reino Unido sejam rígidas o suficiente no processo de equivalência.

“Escolhemos esta abordagem simples e abrangente, em vez de replicar as restrições com base na jurisdição do emissor das ações ou na moeda em que as ações são emitidas”, disse Nausicaa Delfas, responsável por assuntos internacionais da agência britânica. “Queremos preservar a liberdade para os emissores de todas as jurisdições escolherem onde e como levantar capital.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.