Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,31 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -908,97 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    84,83
    -0,72 (-0,84%)
     
  • OURO

    1.836,10
    -6,50 (-0,35%)
     
  • BTC-USD

    35.621,89
    -2.450,25 (-6,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    870,86
    +628,18 (+258,85%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,02 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.965,55
    +13,20 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    27.522,26
    -250,67 (-0,90%)
     
  • NASDAQ

    14.411,00
    -430,00 (-2,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1900
    +0,0599 (+0,98%)
     

Regras chinesas de listagem no exterior reduzem incertezas do mercado

·2 min de leitura

Por Kane Wu e Julie Zhu

HONG KONG (Reuters) - O plano da China de aumentar o escrutínio sobre as vendas de ações das empresas nacionais no exterior deve aliviar a incerteza regulatória que turvou os mercados financeiros este ano e paralisou as listagens offshore, disseram banqueiros e analistas.

Mas o novo sistema baseado em arquivamento do regulador de valores mobiliários, projetado para controlar as listagens chinesas antes liberais nos mercados dos EUA e de outros lugares, deixa em aberto questões sobre a aplicação de regras e critérios de conformidade, acrescentaram eles.

"As novas regras representam uma atualização regulatória abrangente, sistêmica e orientada para o mercado", disse o banco de investimentos China International Capital Corp (CICC) em uma nota, mas acrescentou que elas contêm "alguns itens que precisam de mais observação e esclarecimento".

A Comissão de Valores Mobiliários e Regulamentares da China publicou um projeto de lei na noite de sexta-feira exigindo registros de empresas que buscam listagens no exterior sob uma estrutura para garantir que cumpram as leis e regulamentações chinesas.

As empresas que usam a chamada estrutura de entidade de interesse variável (VIE) ainda poderão buscar listagens no exterior, desde que estejam em conformidade, eliminando a incerteza para os investidores que temem que a China bloqueie tais listagens.

Tal risco se tornou grande depois que a listagem da Didi Global, em julho, gerou uma grande reação regulatória das autoridades chinesas, preocupadas com a segurança nacional.

A estrutura VIE tem sido usada pela maioria das empresas de tecnologia chinesas listadas no exterior, como Alibaba e JD.com, para contornar as restrições chinesas ao investimento estrangeiro em certos setores.

A incerteza sobre o futuro das estruturas VIE, juntamente com as repressões regulamentares da China em setores importantes como e-commerce e tutoria, destruiu as ações de empresas chinesas listadas no exterior este ano.

E embora as empresas chinesas tenham levantado 12,8 bilhões de dólares nos Estados Unidos este ano, o valor dos negócios foi interrompido após a listagem da Didi em julho. Em Hong Kong, o valor dos IPOs em 2021 caiu para 26,7 bilhões de dólares em relação aos 32,1 bilhões de dólares do ano anterior, de acordo com dados da Refinitiv.

(Por Kane Wu e Julie Zhu; reportagem adicional de Samuel Shen em Xangai; Texto de Scott Murdoch)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos